TST determina que Uber e motoristas não têm vínculos empregatícios

Em 16 set 2020, 12:02

TST determina que Uber e motoristas não têm vínculos empregatícios

16 set 2020, 12:02

É a segunda decisão com o mesmo teor que a Corte toma neste ano

tst, uber, vínculo empregatício, motoristas, processo

TST decidiu que Uber e motoristas não têm vínculos empregatícios
Foto: FREESTCOCKS-PHOTOS/PIXABAY

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) rejeitou, na última sexta-feira, 11, que o aplicativo de transporte Uber e os motoristas tenham vínculo empregatício em São Paulo.

De acordo com o relator do processo, ministro Alexandre Luiz Ramos, o fato de quem dirige ter opção de poder ou não trabalhar, fazer o horário que quiser e não ter regras de produtividade vão de encontro à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

“O trabalho pela plataforma tecnológica, e não para ela, não atende aos critérios definidos nos artigos 2º e 3º da CLT, pois o usuário-motorista pode dispor livremente quando e se disponibilizará seu serviço de transporte para os usuários-clientes, sem qualquer exigência de trabalho mínimo, de número mínimo de viagens por período, de faturamento mínimo, sem qualquer fiscalização ou punição por esta decisão do motorista”, constatou o magistrado na decisão.

Não cabe mais recurso.

Caso semelhante já havia sido julgado pelo TST em fevereiro deste ano, também com ganho de causa do aplicativo, mas com um motorista de Guarulhos.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Coronavírus

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês