Um negócio da China - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 28 out 2020, 11:00

Um negócio da China

28 out 2020, 11:00

“Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê?”, interpela Guilherme Fiuza

doria

Quando a vacina chegar, todos já estarão imunizados
Foto: Governo do Estado de São Paulo

“Eis aí uma excelente proposta: chega de espera, vamos vacinar a população antes da vacina. Mas como isso funcionaria exatamente? Muito simples: é só pegar as manchetes, os discursos, as profecias, as bravatas, comprimir tudo numa seringa e mandar para dentro do povo. Adeus, covid”, dissertou o jornalista Guilherme Fiuza, no mais recente artigo que publicou na Revista Oeste. De acordo com ele, a discussão sobre a vacina contra o coronavírus está mais avançada que a própria vacina. “Mas isso é detalhe”, observa Fiuza. “O debate está tão acelerado, com autoridades já anunciando seus planos de imunização, que é capaz de, quando a vacina chegar, já estar todo mundo vacinado”, concluiu.

Leia o artigo completo de Guilherme Fiuza na edição n° 31 da Revista Oeste

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Doria a serviço da China!
    Ambição sem limites, o povo paulista é um mero trampolim!
    Esse senhor já vendeu sua alma, vender a dos outros então….!!!

    Responder
  2. O ChinaDória é o tipo do político aproveitador. Não sai da mídia. É por isso que o estado de S. Paulo é recordista em contaminação e mortes pelo “chinavírus”. Ele não tem tempo para governar, mas tão-somente para fofocar. É um língua de trapo dos diabos.

    Responder
    • O Dória segue como um cavaleiro solitário, talvez num ato de manter seu patrimônio quase que bilhardário estável, nessa ambição pessoal de manter alianças com poderosos chineses, aos quais já se declarou fã. Vachina?? O que importa é o que intere$$a!!!

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês