Vacina de Oxford pode ter uso emergencial em 2020 - Revista Oeste

Edição da semana

Em 16 ago 2020, 17:34

Vacina de Oxford pode ter uso emergencial em 2020

16 ago 2020, 17:34

Coordenadora dos testes com imunizante no Brasil afirma que utilização depende de análise prévia da eficácia do medicamento

vacina de oxford, uso emergencial, coronavírus, covid-19

Vacina de Oxford pode chegar antes do final dos estudos | Foto: Divulgação

A vacina em desenvolvimento pela Universidade de Oxford em parceria com a AztraZeneca e que teve cem milhões de doses compradas pelo Brasil pode ter o uso emergencial liberado ainda este ano, caso análises prévias realizadas no estudo comprovem sua eficácia.

A informação partiu da coordenadoras dos testes com o imunizante no Brasil, Lily Yin Weckx. Para ela, o contexto da pandemia faz com que a agilidade do processo seja maior.

O estudo completo da vacina, entretanto, só deve ficar pronto em junho do ano que vem.

A terceira e última fase de testes com a medicação já está em andamento e, no Brasil, ao menos 5 mil voluntários participam do experimento, sendo 2 mil em São Paulo.

“O que se espera é que, como temos vários centros estudando, com um grande número de pessoas sendo avaliadas, possamos fazer uma análise interina dos dados”, esclarece Lily. “Se essa análise mostrar que o resultado é muito positivo, é possível conseguir o licenciamento para uso emergencial”.

Segundo a médica, a pesquisa caminha bem e novos dados sobre a eficácia da vacina devem ser liberados em breve.

Nesta semana, idosos acima de 60 anos receberam autorização para participar do estudo de Oxford. Os voluntários também serão orientados a tomar uma segunda dose do imunizante, já que há potencial de produção de anticorpos com a segunda aplicação ocorrendo entre quatro e seis semanas depois da primeira injeção.

“Todas essas modificações vão de encontro à nossa realidade”, afirma a coordenadora. “A vacina, se for licenciada, se ela se mostrar eficaz, com certeza será priorizada para os grupos de risco, como profissionais de saúde e idosos. Cada vez mais o protocolo vai se aproximando da realidade que teremos”.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O crime acima de todos

Não é que as instituições estejam funcionando mal, ou passando por alguma anomalia — ao contrário, elas são organizadas de maneira a tornar inevitáveis resultados como o que beneficiou André do Rap

O “cancelamento” contra a arte

Caso a sociedade se submeta a essa versão gourmetizada do stalinismo, nossos filhos e netos não terão o que ler, ouvir ou assistir

A segunda onda de hipocrisia

Em que pesem as comprovações de ineficácia dos lockdowns, enganadores como Emmanuel Macron fingem ter um mapa de bloqueio de contágio

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

O capitalismo pode salvar o mundo?

O sistema não é uma ideologia de laboratório, como o comunismo. É uma força viva, dinâmica, que há milênios se aperfeiçoa na satisfação das necessidades humanas

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês