-Publicidade-

Vazamento no Ministério da Saúde expõe milhões de dados

CPFs, endereços, telefones e demais informações de várias pessoas foram divulgadas

CPFs, endereços, telefones e demais informações de várias pessoas foram divulgadas

vazamento no ministério da saúde
Sede do Ministério da Saúde, em Brasília | Foto: Divulgação/Agência Brasil

Dados pessoais de 16 milhões de brasileiros que se submeteram a testes para o coronavírus vazaram do sistema eletrônico do Ministério da Saúde. Entre as informações expostas estão CPFs, endereços residenciais e comerciais, telefones e doenças pré-existentes dos pacientes. É o que noticiou nesta quinta-feira, 26, o jornal O Estado de S. Paulo. Entre os que tiveram os dados divulgados ilegalmente estão os chefes dos poderes Executivo e Legislativo, ministros de Estado e 17 governadores.

O ataque não foi causado por hackers. Partiu de Wagner Santos, funcionário do Hospital Albert Einstein. Ele tinha acesso liberado aos bancos de dados do ministério porque trabalhava em um projeto na pasta. Santos publicou em seu perfil pessoal da plataforma GitHub, em 28 de outubro, uma lista com usuários e senhas que davam acesso aos bancos de dados de pessoas testadas, diagnosticadas e internadas por covid-19 no Brasil. Até o momento, o homem ainda não foi preso.

Leia também: “AstraZeneca admite erro e enfrenta crítica de cientistas”

-Publicidade-
Envie-nos a sua opinião, sugestão ou crítica! Fale conosco
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês