Rio Araguaia: Ministério Público vai investigar denúncia contra a Friboi

Em 4 ago 2020, 11:36

Vídeo denuncia Friboi por despejo de ‘esgoto’ no Rio Araguaia

4 ago 2020, 11:36

Ministério Público Federal vai investigar o caso ocorrido na cidade de Barra do Garças (MT)

esgoto - friboi - rio araguaia - barra do garças

Foto: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS

Denúncias feitas por meio de postagens nas redes sociais podem fazer com que autoridades se movimentem. É o que por exemplo acontece neste momento no interior de Mato Grosso. Dias após a divulgação de vídeo em que um morador de Barra do Garças (MT) acusa a Friboi de jogar “esgoto” no leito do Rio Araguaia, o Ministério Público Federal (MPF) avisou que investigará o caso.

Leia mais:  “A mentira da ‘floresta em chamas'”

O vídeo em questão apresenta um homem reclamando da poluição do rio. Em determinado momento, as imagens mostram um tubo que despeja líquido diretamente no Araguaia. “Olha a cor da água que a Friboi joga dentro do rio”, reclama o senhor, ao citar a marca que faz parte do grupo JBS. Posteriormente, ele se dirige a outro ponto do rio para mostrar a diferença da coloração em relação à parte em que o tubo está colocado.

Ação do MPF

Diante da gravação, procuradores do MPF foram ao local e verificaram possíveis irregularidades — além da constatação de que o tubo foi colocado em outro ponto do rio. Dessa forma, o caso será investigado. Vereador de Barra do Garças, Gabriel Pereira Lopes avisou que o assunto, graças às denúncias via redes sociais, também chamou a atenção da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

“Desde já parabenizo os responsáveis por essas imagens pela coragem de trazer à tona essas denúncias”, afirma o vereador por meio de mensagem divulgada em seu perfil no Instagram. “Sei muito bem o que esse senhor está dizendo. Quando fui relator da CPI das Águas de Barra do Garças, encontrei diversas irregularidades e encaminhei inúmeras denúncias aos órgãos competentes”, prossegue Lopes.

O outro lado

Citada no vídeo que pautou o trabalho de procuradores do MPF, a JBS se posicionou. Mas não respondeu diretamente a respeito dos rejeitos que estaria depositando no Araguaia. Em nota, a empresa informa que segue determinações dos órgãos competentes para operar na região. Confirmou, entretanto, que mudou o “ponto de lançamento de efluentes”.

“A JBS cumpre a legislação e está devidamente licenciada pelos órgãos ambientais desde 2015 para que, em função do período de estiagem e consequente baixa no volume de água do Rio Araguaia, possa utilizar um novo ponto de lançamento de efluentes, conforme parecer técnico da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema-MT)”, afirma a JBS.

“A empresa se mantém e põe as informações à disposição dos órgãos competentes”

“A empresa esclarece que monitora mensalmente a qualidade de seu efluente final e está em plena conformidade com os parâmetros legais. Esse monitoramento é realizado em laboratório credenciado pelo Inmetro, se estende às condições do Rio Araguaia e os resultados são protocolados a cada quatro meses na Sema-MT. A empresa se mantém e põe as informações à disposição dos órgãos competentes”, complementa a companhia responsável pela JBS.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 Comentários

  1. Não dá para acreditar nessa empresa!!

    Responder
    • Isso não pode estar acontecendo
      É uma vergonha uma empresa dessas

      Responder
  2. O que espera de uma empresa que pertence a criminosos confessos??

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Coronavírus

Revista Oeste — Edição 27 — 25/09/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês