Viver em quarentena é apenas existir - Revista Oeste

Revista

Viver em quarentena é apenas existir
Ou o país começa de novo a produzir, o mais rápido possível, ou daqui a pouco não vai haver mais Brasil nenhum
27 mar 2020, 16:17

Vamos deixar claro, desde já, a seguinte realidade evidente por si mesma: o Brasil tem de voltar a trabalhar. Não se trata de tomar partido numa guerra, nada santa, entre o presidente da República e a sua crescente constelação de inimigos — um monte de governadores, a parte da mídia que ainda aceita ser chamada de “grande”, as classes intelectuais superiores e, agora, uma variedade cada vez maior e inferior de classes. Ou o país começa de novo a produzir, o mais rápido possível, e cada vez mais gente sai de casa e retorna ao trabalho, ou daqui a pouco não vai haver mais Brasil nenhum. No fundo, há uma pergunta só a responder. O que pode causar mais destruição: o coronavírus ou as medidas que estão sendo tomadas para combater o coronavírus?

Uma coisa é certa, e muito ruim.

Os governos, em quase todo o mundo que conta alguma coisa, cederam ao pânico.

O medo, como se sabe desde o tempo das cavernas, é um mal contagioso; espalha-se com a rapidez dos piores vírus, e faz grande parte das pessoas parar de pensar e se entregar à compulsão de copiar o que os outros estão fazendo. É muito ruim para o boi, nos casos de estouro da boiada. É péssimo para o ser humano, quando o medo conquista os que têm o poder de mandar nele. Esse contágio é especialmente maligno numa questão de saúde pública, porque o medo anula a ciência. Em ciência dois mais dois são sempre quatro. Aqui, não: uns acham que são cinco, outros acham que são sete. Os que mandam em nós estão aprendendo, no melhor dos casos, às nossas custas. No pior, não estão aprendendo nada: ficam com suas opiniões, apenas. Os políticos estão maciçamente neste grupo.

Conteúdo exclusivo para assinantes

TAGS

73 Comentários

  1. Sensacional. Todos os brasileiros com um mínimo de inteligência deveriam ler e refletir. Parabéns.

    Responder
    • pois e…se a humanidade tivesse medo da peste negra, ninguem estaria aqui p contar historia…

      Responder
      • Muito bem lembrado, Agnaldo.

        Responder
      • Parabéns, Guzzo! Super estréia! Texto verdadeiro e cristalino, vc arrasou, como sempre!

        Responder
        • Sensato!

          Responder
          • Ótima estreia do Guzzo! Exemplo de profissional para aqueles que compõem a “grande mídia”. Parabéns revista Oeste pela excelente equipe!

            Responder
        • Quão prazeroso é ler seus artigos novamente. Abandonou aquela infeliz revista?

          Responder
          • Parabéns pela estréia.

            Responder
        • Depois de cancelar todas minhas assinaturas de Globo, Veja, Exame, Estadão e mais algumas da Abril, assinei Oeste pelo time, sem ter lido uma linha antes. Agora esperando vencer a assinatura de Crusoe e Antagonista para cancelar também. Tenho absoluta certeza que não vou me decepcionar com vocês. Guzzo, sai da Veja, assim que você se despediu. Era meu último fio de esperança.Felicidades a todos e vamos vencer essa batalha.

          Responder
          • Cancele antes de vencer sua assinatura da Crusoé. A renovação é automática e depois de descontado, fica muito difícil. Fiz isso ontem e me deu uma alegria enorme livrar-me daquilo.

            Responder
          • Não espere vencer. Eu cancelei a minha no mesmo instante em que percebi o conto do vigário em que tinha caído. A sensação foi muito boa: como a de tomar um banho ao chegar em casa de viagem, empoeirado e enlameado.

            Responder
          • Estou feliz!!!
            Tenho muita esperança na OESTE. O povo brasileiro estava carente de uma fonte de informação séria e competente e com jornalistas inteligentes e da mais alta qualidade. Neste caso, brilhante!!! Parabéns.

            Responder
        • Lucidez é sua velho Guzzo…

          Responder
          • Lucidez é sua marca, velho Guzzo. (correção)

            Responder
    • Perfeito!

      Responder
    • Excelente! Perfeito! Muito lúcido como sempre!👏👏👏🇧🇷

      Responder
    • Ate que enfim achei um meio de comunicacao que nao leio desconfiado de segundas intenções, com esse quadro jornalistico me remeto aos anos em que o jornalismo erra exercido por pessoas de nivil intelectual previlegiado, com isenção e respeito ao leitor
      Vida longa a OESTE

      Responder
    • A verdade cristalina é que ninguém conhece a fundo esse tal virus chinês. Sabe-se, de fato, que como toda virose, a covid-19 também deve ter o seu ciclo. Esperemos, então, que seja breve. Até que passe, que tomemos as medidas higiênicas mais simples, que por si só, já estarão de bom tamanho. Nada de pânico ou histerias.

      Responder
    • Sensacional seria possível disponibilizar via podcast e no LinkedIn?
      Obrigado

      Responder
      • Olá, Fabio.
        Você pode compartilhar no LinkedIn através do ícone de compartilhamento que está logo abaixo da publicação. Quanto ao Podcast, teremos em breve.

        Responder
    • As opiniões sobre o que fazer diante do terrível impasse são díspares. Entendo que é melhor viver do que simplesmente existir. No meu caso, com 79 anos de idade, só me resta ficar recolhido e afastado de possível contágio e é o que farei. Contudo, eu penso nos meus filhos e netos e, mais do que existir, quero que eles vivam. Sobre o João Dória, esse sempre gostou de uma ribalta, seja no Scala de Milão, em circo mambembe ou em carroceria de caminhão. O que Doria produziu na vida além de promover encontros de pessoas ricas e poderosas e faturar alto com isso?

      Responder
    • Voto com o relator …

      Responder
  2. Mestre Guzzo começando magistralmente, como de se esperar. Repetindo o que um amigo amigo meu me disse assim que acabou de ler essa coluna: “Para ler de smoking e quando acabar bater palmas palmas por uns 20 minutos”.

    Responder
    • Perfeita a análise. Faz jus à expectativa que tinha nesta revista.

      Responder
      • Excelente.

        Responder
        • Excelente!!! 👏👏👏👏👏👏

          Responder
  3. Perfeito.

    Responder
    • Parabéns pela estréia!Te acompanho há algum tempo e concordo com muito do que diz,mas nesse caso sou obrigada a discordar.O medo,em se tratando do corona vírus,teria acelerado as providências no caso da Itália e evitado o colapso,que ainda provoca tantas mortes na Itália e em outros países: Espanha,USA…

      Responder
  4. Mestre Guzzo, cirúrgico como sempre.

    Responder
  5. Ótimo

    Responder
    • Excelente texto.

      Responder
      • Parabéns excelente matéria.

        Responder
  6. Excelente!

    Responder
  7. Perfeito mestr Guzzo
    Traduzindo em palavras o sentimento da nação!!

    Responder
    • Por que não há opção para compartilhamento nas redes sociais?

      Responder
      • Olá, Roberto.
        A opção de compartilhamento está no final da publicação.

        Responder
  8. Parabéns, o que dizer mais.

    Responder
  9. Obrigado, José Roberto Guzzo!
    Simples e preciso como sempre!

    Responder
  10. Gostei

    Responder
  11. Perfeito Guzzo!
    Quando se lava o quintal, não se tira a água só de um lado. Vai tirando aos poucos e todos os lados ao mesmo tempo.
    Porque não liberar os que produzem e os que têm menos riscos e fazer com que os vulneráveis se aquietem ?

    Responder
  12. Ótimo texto mestre! Lúcido como sempre! E só falou verdade.

    Responder
    • Perfeito!

      Responder
  13. Excelente! É sempre um prazer lê-lo e aprender a ver o que está acontecendo de forma lúcida.
    Parabéns!

    Responder
  14. Este artigo é para ler em pé e de smoking, e ao final bater palmas uns vinte minutos. Sensacional.

    Responder
  15. Excelente artigo do 1o. exemplar virtual da Revista Oeste.

    Grande mestre Guzzo…Parabéns..

    Responder
  16. Perfeito, estávamos precisando de um jornalismo isento e sem viés ideológico, dá prazer em ler.

    Responder
  17. Aplausos!

    Responder
  18. Ler um texto de J.R. Guzzo é como ouvir uma sinfonia de Beethoven ou um concerto de Vivaldi.

    Responder
  19. Sempre lúcido

    Responder
  20. ainda bem que temos homens e mulheres do nipe desse jornalista nessa revista..

    Responder
  21. Parabéns Mestre Guzzo, perfeito !

    Responder
  22. GG – Grande Guzzo!

    Responder
  23. Mais que a ânsia de conviver, que hoje nos oprime, temos a de ler, ver e ouvir pessoas honestas e inteligentes na imprensa, nas quais possamos confiar. Obrigado Guzzo e colegas pela iniciativa da Oeste.

    Responder
  24. Olá, Guzzo!!
    Vcs são show!
    Boa sorte!

    Responder
  25. O Dollar (Dória), sem se dar conta, entrou na corrida da insensatez.

    Responder
  26. Excelente! O bom senso precisa prevalecer. O máximo período de quarentena deveria ser até 30/abril, após passar o chamado “período crítico de contágio”.

    Responder
  27. Nossa, que bom ver que não estou sozinho. Que não sou louco. LOL

    Responder
  28. Ler o mestre Guzzo é sempre aprender!

    Responder
  29. Perfeito como sempre. Parabéns e vida longa à Oeste!

    Responder
  30. Sensacional Guzzo!!!

    Responder
    • Perfeito, irretocável.

      Responder
  31. Vida longa `aOESTE e eterna para vc JRG

    Responder
  32. Cirúrgico como nunca, preciso como sempre! Assim é o velho Guzzo! Parabéns.

    Responder
  33. Preciso!

    Responder
  34. Obrigada Guzzo. Sempre gostoso de ler. Ótimo artigo

    Responder
  35. Eu só espero que depois desta pandemia, nôs nos preparemos para enfrentar outras, que possam surgir, estruturando o País de ponta a ponta. O que não dá mais, é continuarmos entretidos 24 horas sòmente com Política, Futebol, Religião é Carnaval. Tudo tem seus limites. A Vida, a Saúde, a Segurança, e a infra-estrutura, não podem continuar em SEGUNDO PLANO.

    Responder
  36. Parabéns, Guzzo. Ah, e eu gostaria de comentar que cada vez que vejo o Dória com o microfone nas telinhas da TV é o Gugu que me vem à lembrança.

    Responder
  37. Quanta sensatez, obrigada.

    Responder
  38. Artigo muito pertinente e realista. Guzzo nunca decepciona.

    Responder
  39. A introdução já exemplifica tudo, eu concordo 100%.

    Responder
  40. …esse coronavírus só perde pro homovírus…o maior mal do homem é dele mesmo…

    Responder
  41. Excelente, pena que poucos lerão isto.

    Responder
  42. Enquanto nós, brasileiros, consentirmos passivamente a essa violação de direitos e garantias fundamentais, promovidas por governadores, prefeitos e poderosos de Brasília (Congresso/STF), estaremos fadados a perder tudo de bom e importante que construímos até aqui. Aquele Brasil, que vinha melhorando, tendo excelentes perspectivas de crescimento, estará sentenciado ao fracasso total se não formos ainda mais incisivos na cobrança pela volta à normalidade. Excelente artigo, Guzzo!

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Revista Oeste — Edição 10 — 29/05/2020

OESTE NOTÍCIAS