Witzel é afastado do cargo de governador - Revista Oeste

Edição da semana

Em 28 ago 2020, 06:25

Witzel é afastado do cargo de governador

28 ago 2020, 06:25

Determinação veio do Superior Tribunal de Justiça; vice Cláudio Castro assume o Palácio Guanabara

witzel

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel | Foto: DIVULGAÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi afastado temporariamente do cargo nesta sexta-feira, 28, depois de decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Witzel responde a três inquéritos no STJ, sendo dois abertos por solicitação da Procuradoria-Geral da República. Um deles apura envolvimento em desvios de recursos destinados à luta contra a covid-19.

Leia também: “O ataque do Covidão”, reportagem publicada na edição n° 7 de Oeste

Além disso, dados utilizados nessa investigação embasam também o pedido de impeachment do governador, em andamento na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. A ordem de afastamento decorre das investigações da Operação Placebo, deflagrada em maio deste ano, e da delação premiada do ex-secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro Edmar Santos.

Em nota, a defesa de Witzel informa que “recebe com grande surpresa a decisão de afastamento do cargo, tomada de forma monocrática e com tamanha gravidade”. Os advogados afirmaram também que aguardam o acesso ao conteúdo da decisão para tomar as medidas cabíveis. A Justiça determinou que Witzel deixe o cargo por 180 dias até que as investigações sejam concluídas.

Operação Placebo

Conforme noticiou Oeste, Witzel foi alvo da Operação Placebo em 26 de maio. Dessa forma, a PF cumpriu mandados de busca e apreensão em vários endereços em São Paulo e no Rio de Janeiro, incluindo o Palácio das Laranjeiras e a casa onde ele morava antes de ser eleito, no bairro de Grajaú. Os agentes também foram ao escritório em que Helena Witzel, esposa do governador, atua.

A PF apura desvios na saúde pública do Rio em negociações de emergência durante a pandemia. Assim sendo, investigações apontaram para a existência de um esquema irregular envolvendo uma organização social contratada para a construir hospitais de campanha. Além disso, servidores da cúpula da gestão do sistema de saúde do Estado do Rio de Janeiro estariam envolvidos.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

11 Comentários

  1. Impressionante, um ex-juiz federal pedir exoneração do cargo vitalício pra se eleger governador e em tão pouco tempo ser afastado e, provavelmente, preso, se condenado!
    Orgulho do Brasil, pois serve como mais um exemplo de que o crime não compensa!

    Responder
    • Witzel não está sozinho nessa embrulhada. Cabral deslumbrou-se com o dinheiro, foi preso. Mas o entorno continua. Tem que prender todos os vagabundos, já esclareceu o ministro.

      Responder
      • Basta recorrer ao libertador de bandidos, o Gilmar Laxante Mendes, que as coisas se ajeitam para o safado do Witzel.

        Responder
  2. O problema do corrupto nem sempre se resume apenas no roubo.
    Dependendo do caso, o roubo impacta obras e/ou serviços que seriam vitais/úteis à terceiros inocentes.
    No caso de mandato eletivo engloba, também, e muito mais grave, numa verdadeira traição ao povo que o elegeu.
    E no caso do Witzel, mais agravante ainda, devido ao caos que, em complô com os demais corruptos, tentava fazer no País para a derrubada do sistema democrático até então vigente no Brasil.
    No entanto, se tornou absolutamente nocivo, ao dar força à China, também, para seu intento de domínio territorial do País.
    Que tenha um julgamento justo e, se for o caso, uma pena proporcional ao estrago que fez e que poderia ter feito!

    Responder
  3. Acorda Gilmar, não deixa o ômi ser preso e muito menos ir a julgamento, ele é inocente, e comparado ao Lula ele é um anjo. Se já estão confabulando para limpar o nome do nove dedos, porque sujar o nome de Witzel? Só mais trabalho para depois. O afastamento de Witzel é mais um ataque ao judiciário e as instituições pela turma do Bozo que pensa que o dinheiro da Covid é só deles, cuidado depois dele pode ser você, abra o olho. Nada como cortar o mal pela raiz.

    Responder
  4. Sr. Witzel, a corrupção mata.

    Responder
  5. Dória deve estar borrado aguardando sua vez.

    Responder
  6. E viva o STF e o covidao.

    Responder
  7. Você que está dizendo no Brasil o crime compensa é recompensa.

    Responder
  8. Foi o estrume, ainda falta o bos ta.

    Responder
  9. Ainda está longe do aceitável, porém e prazeroso ver que, existem pessoas que acreditam que nosso país tem jeito e que crimes que afetam diretamente a dignidade desse nosso povo tão sofrido e abandonado em alguns casos acalantam a nossa alma. tenhamos Ainda há esperança.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

Vacinação sem vacina

Falar em obrigar a população inteira a se vacinar — com uma vacina que não existe — significa o quê? Um negócio da China?

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

Supremas diferenças

Ao compararmos o STF à Suprema Corte dos Estados Unidos, o choque é violento

Por que há socialistas com mais de 30 anos

Duas razões: todos nós crescemos em famílias, que são pequenas comunidades socialistas; e na economia contemporânea é difícil estabelecer a conexão entre esforço e recompensa

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Fracasso governamental

“Os governos fracassaram de modo retumbante na crise do coronavírus. Mas também não há evidências de que o...

Você não pode perder

Ciência, que é bom, nada

Ciência, que é bom, nada

"Desde o começo da epidemia a discussão vem sendo assim: política em primeiro lugar", afirma J.R. Guzzo...

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Revista Oeste — Edição 32 — 30/10/2020

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês