Super Rádio Tupi poderia ser comprada por Witzel, afirma delator

Edição da semana

Em 30 ago 2020, 13:00

Witzel planejava comprar emissora de rádio para fins políticos, acusa delator

30 ago 2020, 13:00

Ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro afirma que aquisição seria feita a partir de esquema de desvio de dinheiro público

wilson witzel - entrevista - super rádio tupi

Witzel em entrevista à Super Rádio Tupi. De acordo com delator, ele queria comprar a emissora | Foto: DIVULGAÇÃO/SRT

O governador afastado Wilson Witzel (PSC) tinha planos de se tornar empresário de comunicação para, assim, impulsionar sua carreira política. A informação consta em trecho da delação premiada de Edmar Santos, ex-secretário de Saúde do Estado do Rio de Janeiro.

Leia mais: Colunista da Revista Oeste cravou em junho que Witzel seria o 1º a cair

De acordo com as acusações de Santos, que chegou a ser preso em meio a operações do “covidão fluminense”, Witzel tinha o interesse de comprar a Super Rádio Tupi. Com programação popular, a emissora tem abrangência em boa parte do Estado e é mantida pelo grupo Diários Associados.

Conforme denunciado pelo ex-secretário, a compra do veículo de mídia seria feita por meio de recursos do Financiamento aos Municípios na Área de Saúde (Finansus). O montante desviado seria de R$ 100 milhões, apontou Santos. “O valor retornaria para o grupo para a compra da Rádio Tupi, que teria um enorme potencial político para o grupo para as futuras eleições”, explicou na delação, conforme noticia o site da CNN Brasil.

Ainda de acordo com Santos, a intenção de comprar a Super Rádio Tupi foi revelada em reunião conduzida por Witzel em dezembro do ano passado. Até o momento, o governador afastado e a direção da empresa de comunicação não se pronunciaram a respeito das acusações registradas em delação premiada.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Para ele é uma pena que já existe um programa com esse nome, ele poderia criar o programa Pânico de ser preso.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O crime acima de todos

Não é que as instituições estejam funcionando mal, ou passando por alguma anomalia — ao contrário, elas são organizadas de maneira a tornar inevitáveis resultados como o que beneficiou André do Rap

O “cancelamento” contra a arte

Caso a sociedade se submeta a essa versão gourmetizada do stalinismo, nossos filhos e netos não terão o que ler, ouvir ou assistir

A segunda onda de hipocrisia

Em que pesem as comprovações de ineficácia dos lockdowns, enganadores como Emmanuel Macron fingem ter um mapa de bloqueio de contágio

Alerta: pesquisas à vista!

Por que as sondagens eleitorais erram tanto, como isso distorce o processo democrático e o que se pode fazer

O capitalismo pode salvar o mundo?

O sistema não é uma ideologia de laboratório, como o comunismo. É uma força viva, dinâmica, que há milênios se aperfeiçoa na satisfação das necessidades humanas

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma guerra civil nos EUA?

A mídia recusa-se a noticiar o que é evidente aos olhos de seus espectadores, e intelectuais argumentam que “saques e protestos violentos são vivenciados como eventos alegres e libertadores”

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês