Zambelli: Michelle usou hidroxicloroquina e está curada - Revista Oeste

Edição da semana

Em Em 17 ago 2020, 16:40

Zambelli: Michelle usou hidroxicloroquina e está curada

17 ago 2020, 16:40

Primeira-dama informou no domingo que se curou da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus

Presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama Michelle Bolsonaro | Foto: Marcos Corrêa/PR

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) comemorou nesta segunda-feira, 17, o anúncio da primeira-dama Michelle Bolsonaro de que está curada da covid-19.

Segundo a parlamentar, Michelle Bolsonaro usou hidroxicloroquina no tratamento da doença.

Zambelli é uma das principais apoiadoras do governo do presidente Jair Bolsonaro.

LEIA MAIS: “Justiça impede Paulínia de adotar tratamento com hidroxicloroquina”

Em 30 de julho, o Palácio do Planalto informou que a primeira-dama contraiu a doença causada pelo novo coronavírus.

Ontem, domingo 16, Michelle Bolsonaro publicou nas redes sociais um exame que mostra resultado negativo para a covid-19.

“Exame negativo. Obrigado pelas orações e por todas as manifestações de carinho”, escreveu a primeira-dama.

Além de Michelle, o presidente Jair Bolsonaro também disse que se curou da covid-19. Ele é defensor do uso da hidroxicloroquina no tratamento da doença.

TAGS

*O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 Comentário

  1. Eu não tenho conhecimento nem argumentação científica para comentar a eficácia dessa medicação. Fato é fato: há controvérsia no meio científico que ainda não encontrou consenso.Portanto, meu comentário não desmerece o fato da cura do presidente e de sua esposa. Não obstante, um outro fato merece reflexão( e não estou sendo contra apenas sugerindo uma reflexão): tanto o Presidente quanto sua esposa possuem uma estrutura de apoio médico e logístico de primeiro mundo. Médicos e Hospitais ficam à disposição 24 horas. Nessa mesma linha estão os laboratórios, exames rápidos, testes acompanhamento multidisciplinar. helicóptero, avoões , etc. Essa estrutura não é exclusiva de nosso Presidente,pois sempre existiu para todos. No mundo real, as consultas no SUS continuam penosas e demoradas, em boa parte das cidades do interior as UPA’s não funcionam fim de semana e há em muitas delas apenas um médico para toda população local.Exames simples continuam demorando meses,etc. Tanto é que as estatísticas mostram o avanço dos casos justamente nas periferias. Não contesto o sucesso ou não do medicamento, apenas reflito sobre o acesso dos cuidados médicos e internação dos demais brasileiros.

    Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine a nossa newsletter

Colunistas

O império dos sem-voto

Há cada vez mais pessoas que nunca receberam um único voto na vida, e não têm mandato nenhum, dizendo o que o cidadão deve ou não deve fazer

O mal de roupa nova

O Partido Democrata não esconde as intenções: quer mais coletivismo, menos autonomia dos Estados, maior controle exercido pelo Executivo central e intervenção na economia

A nova Torre de Babel

Ao contrário do mito bíblico, a torre atual está sendo edificada com base na confusão proposital das palavras por indivíduos desprovidos de inteligência e coragem

Segundo turno nupcial

“Ué, você tá torcendo pra mim?” / “Não sei. Estou indeciso”

A imprensa morre no escuro

A atividade que já foi chamada de “quarto poder” escorrega perigosamente para a irrelevância

O resgate de Tocqueville

O desprezo pelo cristianismo, tão comum em meios “progressistas”, representa um perigoso afastamento dos pilares norte-americanos

A coerção e o coronavírus

A necessidade de restrições ocasionais não deve abalar os fundamentos do verdadeiro liberalismo, sustentado no “inovismo” e no “adultismo”

Uma nova doença: o vício em desculpas

Poucas figuras públicas têm a força de caráter para se recusar a pedir desculpas aos identitaristas, que gostam de desempenhar o papel de vítimas permanentes

Você não pode perder

A VOZ DAS REDES

Uma seleção de tuítes que nos permitem um olhar instigante do mundo, ajudam a pensar e divertem o espírito

LEIA MAIS

Oeste Notícias

R$ 19,90 por mês