-Publicidade-

CVC estuda diminuir operações na Argentina: ‘Está difícil’

Presidente da companhia, Leonel Andrade mencionou o péssimo cenário econômico do país governado pelo peronista Alberto Fernández
O presidente da Argentina, Alberto Fernández, e a vice-presidente Cristina Kirchner | Foto: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/ALBERTO FERNÁNDEZ
O presidente da Argentina, Alberto Fernández, e a vice-presidente Cristina Kirchner | Foto: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/ALBERTO FERNÁNDEZ | O presidente da Argentina, Alberto Fernández, e a vice-presidente Cristina Kirchner | Foto: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/ALBERTO FERNÁNDEZ

Presidente da companhia, Leonel Andrade mencionou o péssimo cenário econômico do país governado pelo peronista Alberto Fernández

cvc
O presidente da Argentina, Alberto Fernández, e a vice-presidente Cristina Kirchner
Foto: Reprodução/Instagram/Alberto Fernández

O presidente da CVC Corp, Leonel Andrade, afirmou que a empresa avalia reduzir as operações na Argentina em razão do péssimo cenário econômico. “A Argentina tem uma economia cada vez mais difícil e o governo não consegue mudar questões internas. Existe muita restrição para demitir as pessoas. Não conseguimos fazer uma grande reestruturação do negócio. Vamos reduzir o escopo da operação na Argentina antes de voltar a crescer”, declarou Andrade, em teleconferência para analistas de mercado, na terça-feira 20. Hoje, a CVC Corp é dona das marcas CVC, Submarino Viagens, Ola, Bibam, Visual, Experimento, Grupo Trend, VHC, RexturAdvance e Esferatur.

Leia também: “Coca-Cola muda sede regional da Argentina para o Brasil”

Na Argentina, o conglomerado empresarial possui três companhias, da Almundo, na qual detém 100% do capital, e as empresas Ola e Biblos, na qual opera com sócios minoritários. “Estamos conversando com os sócios para avaliar uma solução. No caso da Almundo, provável que teremos controle total. Já conseguimos absorver 100% da tecnologia e integrar com a tecnologia instalada no Brasil”, acrescentou Andrade. O executivo observou, ainda, que o grupo não fez corte de pessoal no Brasil. Contudo, foi possível fazer redução de salário e jornada e reduzir outros custos operacionais durante a pandemia. Na Argentina, a CVC não pôde atuar da mesma forma, por questões regulatórias.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Eu não consigo entender como a Bolívia vendo pq aconteceu com Argentina, volte com a esquerda. Tenho medo se trump perder ficaremos sozinhos contra o continente.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês