ANP autoriza produção de etanol de milho em Mato Grosso do Sul

Unidade adiciona 2,5 milhões de litros do combustível por dia à capacidade nacional
-Publicidade-
O Brasil produziu 3 bilhões de litros de etanol de milho em 2021
O Brasil produziu 3 bilhões de litros de etanol de milho em 2021 | Foto: Reprodução/Pixabay

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) autorizou, na segunda-feira 23, a instalação da primeira usina produtora de etanol de milho em Mato Grosso do Sul. Com a nova fábrica, o Brasil passará a ter dez unidades em todo o país dedicadas à produção do combustível a partir dessa matéria-prima.

A nova usina está localizada em Dourados (MS), a 230 quilômetros de Campo Grande, capital do Estado. Ela pertence ao grupo Inpasa e tem a capacidade autorizada para fabricar 2,5 milhões de litros de etanol por dia, em partes iguais de anidro (que vai na mistura da gasolina) e o hidratado (usado diretamente como combustível).

De acordo com a ANP, as usinas do Brasil geraram 3 bilhões de litros de etanol de milho em 2021. Ou seja: 11% de toda a produção brasileira de etanol no ano passado. Mas nos meses da entressafra da cana-de-açúcar — janeiro, fevereiro e março — essa proporção fica ainda maior, chegando a 50%.

-Publicidade-

Expansão do etanol de milho

No Brasil, existem dez usinas de etanol de milho sendo construídas e outras três em processo de ampliação, conforme dados da ANP. Desse modo, a agência estima que a capacidade de geração do combustível à base de milho no país deve chegar a 8 milhões de litros por dia até 2023.

Inpasa

Segundo o site da empresa, a Inpasa é a maior produtora de combustível à base de milho na América Latina. Contando a unidade de Dourados, a companhia possui três usinas.

Leia também: “O agronegócio alimenta o Brasil”, matéria de Artur Piva para a Edição 113 da Revista Oeste

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. Se fosse um país realmente livre quem quisesse prduziria e venderia a quem quisesse comprar sem autorização de A ou B! Burocracia só serve pra corrupção!

  2. Embora tenham um apelo ecológico, os biocombustíveis só são economicamente viáveis quando o preço da gasolina e do diesel estão elevados. A mistura de combustíveis que acontece hoje se torna mais cara ainda por conta do catalizador que é usado para estabilizar a mistura do combustível vegetal com o mineral, portanto seria mais adequado usar 100% álcool ou 100% gasolina, os motores seriam mais econômicos e menos poluentes. Os atuais motores flex só funcionam + ou – com álcool ou gasolina. O mesmo vale para o diesel, alias na época em que o motor diesel foi criado, não existia diesel, o motor funcionava com óleo de amendoim.

  3. Então e muito bom que o preço do etanol seja inferior ao da gasolina A da Petrobras, porque ultimamente só se critica a empresa pela pratica da PPI (politica de preços internacionais) e que ela esta assaltando o povo brasileiro. Vale dizer que a Petrobras nunca deu tanto dinheiro ao povo brasileiro como nestes 3 últimos anos, e somente no ano 2021 proporcionou à UNIÃO (povo brasileiro) mais de R$240 bi em impostos, royalties e expressivos DIVIDENDOS nunca vistos, de mais de R$30 bi, e até meados deste ano mais de R$17 bi. Portanto a ação social que se cobra da Petrobras se traduz em resultados para o Tesouro seu maior acionista que nada recebia no passado com constantes prejuízos. Há saudades dos políticos daquele passado?
    Por falar na Petrobras, que para a velhaca imprensa e políticos desonestos é a VILÃ do preço dos combustíveis seria importante que os leitores da revista oeste e outros bons meios de comunicação, soubessem que a gasolina comum na bomba, tem 73% de gasolina A da Petrobras que recebe por este fornecimento R$2,81, e 27% de álcool anidro do Usineiro que recebe R$1,05. Logo, o preço por lt. da gas. A=2,81/0,73 =R$3,85 é menor que o do álcool = 1,05/0,27=R$3,89. Vale dizer também que do preço médio da bomba de R$7,28, o ICMS dos governadores R$1,75 somado a Dist/Rev. da atividade privada R$0,98, que nada produzem atingem R$2,73 ou 97,2% do valor cobrado pela Petrobras. Os imp.fed. do Bolsonaro é fixo desde 2019 no valor de R$0,69.
    O óleo diesel da bomba contém 90% de diesel Petrobras e 10% de biodiesel dos Usineiros. Do valor na bomba de R$7,07 a Petrobras recebe R$4,43 e o Usineiro R$0,72 logo, o preço por lt. do diesel Petrobras é 4,43/0,90=R$4,92 e o biodiesel do usineiro é R$0,70/0,10=R$7,00. Imaginem quanto custaria o diesel na bomba se a mistura fosse 80/20 ou 70/30 e por ai vai. Neste diesel o governo federal zerou os impostos e os governadores cobram R$0,82 e Dist/Rev. R$1,10 que somados R$1,92 representam 43,3% do vr. cobrado pela Petrobras. Será que os caminhoneiros sabem disso?
    Vamos lá revista oeste, basta ler o site da Petrobras e lá encontrara a TRANSPARÊNCIA necessária para parar de critica-la por praticar PPI, quando todas as nossas commodities especialmente as agropecuárias praticam.

    1. Ótima matéria, bem esclarecedora! Ah e os comentários são muito bons! Principalmente do Sr Edson Oliveira e do Sr Antônio Carlos Neves.

  4. Imaginem se noticias como esta fossem amplamente divulgadas pela grande mídia, se houvesse um minimo de boa vontade para se mostrar as boas ações que estão ocorrendo desde 2019 pelo atual governo. Tenho certeza que até por uma questão de exercitar o positivismo, a realidade do brasileiro seria outra, mesmo com pandemias, guerras e crises pontuais. Sabemos que isto, no momento, é impossível, pois a esquerda deste pais “ainda” tem força. Meios de comunicações como a “Revista Oeste” nunca foram tão necessários e fundamentais para que aconteça a grande mudança de mentalidade que precisamos e mesmo que demore, virá. PARABÉNS “REVISTA OESTE” continuem assim. O brasileiro que torce por um Brasil melhor, nunca esteve tão seletivo, para procurar a boa e verdadeira “informação”. TAMOS JUNTOS!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.