Brasil exporta volume recorde de café na safra 2020/2021

Estados Unidos permaneceram como principais parceiros comerciais e Colômbia entra para o ranking TOP 10 de compradores
-Publicidade-
Grãos de café torrado
Grãos de café torrado | Foto: Canva

As exportações brasileiras de café no acumulado da safra 2020/2021 somaram 45,5 milhões de sacas de 60kg. Um novo volume recorde, segundo levantamento do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) divulgado nesta segunda-feira, 12. O resultado representa alta de 13,3% em relação à temporada anterior (2019/2020) e de 10,1% sobre as 41,4 milhões de sacas de 2018/2019, até então o melhor desempenho.

Em receita cambial, os embarques do produto ao exterior renderam US$ 5,8 bilhões. O melhor resultado dos últimos cinco anos. Isso representa crescimento de 13,4% na comparação com a safra passada (US$ 5,1 bilhões).

Leia mais: “Exportação de café brasileiro cresce 22% em junho”

-Publicidade-

O presidente do Cecafé Nicolas Rueda, revela que o novo patamar reflete a safra 2020/21, que foi exemplar em volume, qualidade e sustentabilidade. “Os produtores mantêm seu constante ciclo de investimento em qualidade, sustentabilidade e responsabilidade socioambiental, colhendo um volume recorde de arábica e conilon na safra 2020. Dessa forma, possibilita que os cafés nacionais sejam aceitos em todo o mundo, sendo impulsionados pelos profissionais de logística dos nossos associados, os quais redobraram esforços durante a pandemia para honrar os compromissos diante dos entraves logísticos, potencializados pela expressiva alta nos custos dos fretes, consequentes e sucessivos cancelamentos de bookings e dificuldade de novos agendamentos”, explica.

Principais destinos

Entre julho do ano passado e o fim de junho deste ano, o Brasil exportou café para 115 países. Os Estados Unidos permaneceram como os principais parceiros comerciais. Na comparação com a temporada passada, houve elevação de 5,8% nas compras de café. Com os norte-americanos importando 8,3 milhões de sacas. O que representa 18,3% das exportações totais do Brasil.

Leia também: “Café em ascensão na China” 

A Alemanha aparece em segundo lugar no ranking, com representatividade de 17,4%. A Bélgica passou a ocupar o terceiro lugar, respondendo por 8,4% das vendas internacionais. Na sequência, para fechar o top 5, aparecem Itália (6,1% do total) e Japão (5,8% do total).

Chamou atenção a entrada da Colômbia, terceiro maior país produtor de café em nível mundial, entre os 10 maiores destinos do produto brasileiro. O país ocupou a 8ª posição, elevando suas importações em 150% para 1,1 milhão de sacas. Volume que representa 2,5% das exportações totais.

Cafés diferenciados

Segundo o Cecafé, a exportação dos grãos com qualidade superior ou que possuem certificações de práticas sustentáveis responderam por 17,3% dos embarques na safra 2020/2021. Com o envio de 7,8 milhões de sacas ao exterior, os frutos diferenciados apresentaram crescimento de 16,4% ante as 6,7 milhões de sacas registradas no ciclo anterior. A receita gerada foi de US$ 1,3 bilhão.

Leia também: “Agronegócio aumenta exportação em 28,8% no primeiro semestre”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site