Brasil garante mais de 75% do suco de laranja comercializado no mundo

São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Bahia e Rio Grande do Sul são os campeões da produção nacional
-Publicidade-
Colunista da Revista <b>Oeste</b>, Evaristo Miranda trata do tema
Colunista da Revista Oeste, Evaristo Miranda trata do tema | Foto: Divulgação/Agência Brasil

No Brasil, a laranja não é cor de laranja, e sim verde. Ou amarela. Essa contradição cromática envolve clima e genética. Para chegar à cor laranja viva, tirando para o vermelho e não para o amarelo, como em variedades da Espanha, Marrocos ou Estados Unidos, a fruta precisa de variações de luz e temperaturas raras em climas tropicais, explica Evaristo Miranda, colunista da Revista Oeste.

Com suas laranjas verdes e amarelas, o Brasil responde por metade da produção mundial da fruta, seguido por China e EUA. “O país garante mais de 75% do suco comercializado no mundo”, diz Evaristo. Movimentando bilhões de dólares, o suco brasileiro chega amarelinho aos EUA, à União Europeia, Suíça, Japão, Coreia do Sul e à China, lá na Ásia, onde a laranja volta às origens.

Produção

-Publicidade-

A laranja é cultivada em todo o país. Há uma laranjeira para cada brasileiro: um patrimônio genético de cerca de 2 mil tipos de laranjas, tangerinas e limões, e de mais de 210 milhões de árvores. São Paulo garante 77% da produção nacional, seguido por Minas Gerais (6%), Paraná (5%), Bahia (4%) e Rio Grande do Sul (2%).

Saiba mais sobre o assunto no artigo “Laranja, verde e amarela”, publicado por Evaristo Miranda na Edição 75 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro