A lição dos provérbios

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Silva: "Ao garantir que a água mole, flexível e aparentemente fraca, vence a pedra dura, sólida e aparentemente impenetrável, o provérbio louva a persistência na luta contra o mais forte" | Foto: Pixabay
Silva: "Ao garantir que a água mole, flexível e aparentemente fraca, vence a pedra dura, sólida e aparentemente impenetrável, o provérbio louva a persistência na luta contra o mais forte" | Foto: Pixabay

Esta é para o Augusto Nunes, que sabe tudo de Jânio Quadros. Numa declaração aos jornalistas, o ex-presidente disse que não era candidato à presidência da República, que dela estava mais longe do que do Sol está a Alfa do Centauro. Mas essa estrela é a mais próxima do Sol…

Homem de vasta cultura, autor de gramáticas e de dicionários, Jânio Quadros recorria com frequência aos clássicos, às vezes sem lhes dar a autoria. E assim fazia-se entender por provérbios, máximas, sentenças, aforismos e ditos curiosos.

Cada um de nós sabe de cor alguns provérbios, saberes resumidos ao mínimo dos mínimos, e este é um dos mais conhecidos: água mole em pedra dura tanto bate até que fura.

-Publicidade-

Os provérbios sempre ensinam alguma coisa. À semelhança das fábulas, que trazem uma lição de moral no fim da história, ou dos contos de fada, que embutem recomendações semelhantes, os provérbios reprovam vícios e exaltam virtudes.
Ao garantir que a água mole, flexível e aparentemente fraca, vence a pedra dura, sólida e aparentemente impenetrável, o provérbio louva a persistência na luta contra o mais forte, aparentemente.

A língua portuguesa neste e em muitos outros provérbios, ditos, aforismos e máximas, recorreu a técnicas de memorização para transmitir frascos de sabedoria de uma geração a outra.

Originalmente, este provérbio teve no latim uma forma mais breve: Gutta cavat lapidem, a gota (d’água) cava ( desgasta) a pedra.

O português, como se sabe, veio do latim e adaptou também os provérbios. Este teve que ser alongado para ser guardado de cor, e os falantes e os escreventes recorreram ao metro e ao ritmo da frase, além de rimar as palavras “dura” (adjetivo) e fura (verbo). Uma rima rica, portanto, pois foram combinadas palavras de classes gramaticais diferentes.

Saber algo de cor é sabê-lo de coração, “cor”, em latim, donde povo cordial, que decide mais com o sentimento. Dizemos cordial e outras palavras de domínio conexo quando referimos o coração por metáfora, mas recorremos ao composto “kardía”, coração em grego, quando designamos o órgão tal como é. Assim, dizemos cardiologia, cardiopatia, cardiovascular e outras palavras do mesmo étimo.

É para isso que serve a etimologia. Para dar o verdadeiro significado das palavras quando surgiram. No decorrer da vida, as palavras, como nós, também mudam, mas a essência permanece no seu étimo.

Por falar em água, aquário, do latim aquarius, já designou o encarregado de cuidar e de transportar um recipiente, também chamado aquarius, com água para beber. Algumas ilustrações do signo de aquário mostram alguém vertendo água de um cântaro ou somente o cântaro. Mas hoje aquário designa preferencialmente viveiro doméstico com peixes ou plantas aquáticas e, por comparação, ambiente separado por divisórias de vidro em grande sala de trabalho.

Os peixes domésticos não eram criados nem cuidados no aquário. Eles ficavam na piscina, palavra derivada de piscis, peixe, mas como o local passou a ser utilizado para banhos e práticas esportivas, a palavra piscina mudou de significado.

Uma palavra puxa outra e um provérbio também. Entre outros, Sêneca, Ovídio e Propércio deram outra redação em latim ao provérbio. E os espanhóis deram-lhe outra versão para dizer a mesma coisa: la piedra es dura y la gota menuda, mas cayendo de contino have cavadura. (fim)

(*) condensado de De onde vêm as palavras e de A vida íntima das frases & outras sentenças, livros de Deonísio da Silva publicados no Brasil e em Portugal pelo Grupo Editorial Almedina.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Creio que é um belo livro. O respeito à língua, a gramática;a importância da etimologia, o latim etc.,permite o surgimento do homem, o ser humano. A língua, a linguagem é um dos símbolos mais importante da participação na realidade.

  2. E o STF ilegítimo, continua exercendo o ofício de polícia. O brasileiro tem que se antenar e tomar ciência devido ao fato de que Ministro do STF não é Juiz. São em sua grande maioria advogados ou bacharéis, funcionários públicos ocupantes de Cargo em Comissão de Ministros da Suprema Corte, resumindo: São nomeados! Portanto, sem o tal profundo conhecimento CONSTITUCIONAL ou saber jurídico. Algo totalmente ilegal e imoral. E para piorar este quadro, ainda fazem politicalha, são ditadores que pensam e agem como se fossem polícia. Para finalizar, informo aos brasileiros honestos que, somente propondo a apresentação e aprovação de PEC (Proposta de Emenda) pelo Congresso, exigindo Concurso dentre a Magistratura, afim de preencher este cargo de altíssima relevância, iremos construir um judiciário dentro das prerrogativas que lhe cabem, com saber jurídico, sem política e imparciais. Para tanto, auxiliem-me e assine você também o meu abaixo assinado que já se encontra no site https://www.change.org/p/concurso-na-magistratura-para-ocupar-cargo-de-ministro-do-stf?cs_tk=ApblT4CHrG-VA_J37mIAAXicyyvNyQEABF8BvBQmtcRixjaLSeL6MDOGxps%3D&utm_campaign=2d12c86642944009acc13052b4f828f7&utm_content=initial_v0_3_0&utm_medium=email&utm_source=petition_signer_receipt&utm_term=cs

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.