Cabral se diz vítima de ‘gincana processual’: ‘Sou o único da Lava Jato na cadeia’

'Meus três antecessores vivos foram presos. Todos estão respondendo aos seus processos fora da cadeia', afirma
-Publicidade-
Ex-governador do Rio Sérgio Cabral cumpre pena por série de crimes de corrupção revelados pela Lava Jato
Ex-governador do Rio Sérgio Cabral cumpre pena por série de crimes de corrupção revelados pela Lava Jato | Foto: Reprodução/Twitter

Em sua primeira entrevista na cadeia desde que foi preso, em novembro de 2016, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral afirmou ao jornal Folha de S.Paulo que tem sido alvo de uma “gincana processual”. Segundo ele, a Lava Jato do Rio cometeu abusos e o seu caso é diferenciado, quando se compara ao de outros condenados por corrupção.

“Os meus três antecessores vivos foram presos. Moreira Franco, [Anthony] Garotinho e Rosinha [Garotinho]. O meu sucessor foi preso: [Luiz Fernando] Pezão. Todos estão respondendo aos seus processos fora da cadeia”, disse Cabral, que cumpre pena na Penitenciária Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo Penitenciário de Gericinó.

Leia mais: “Saiba por onde andam os ilustres presos da Lava Jato”

-Publicidade-

“Essa Lava Jato do Rio achou em mim um Cristo. O juiz achou em mim uma possibilidade de promoção pessoal. Um desconhecido se tornou a pessoa que prendeu Sérgio Cabral”, afirmou o ex-governador. “O Supremo Tribunal Federal decidiu que só se deve ser preso com processo transitado em julgado. Estou cumprindo pena de maneira antecipada.”

Condenado em 18 processos a quase 350 anos de cadeia e flagrado com cerca de R$ 300 milhões em contas fora do país, Cabral contesta o rito judicial que envolveu seu caso. “A particularidade do meu caso é o volume absurdo de sentenças de um juiz que resolveu dividir em 35 processos as acusações. Dificulta até a própria defesa”, diz. “Não quero me vitimizar. Mas é uma avalanche de processos como nunca se viu no Brasil. É uma gincana processual.”

Leia também: “Defesa de Cabral pede ao STF que decisões de Moro sejam anuladas”

Indagado sobre a situação totalmente diferente vivida hoje por outro político condenado por corrupção — Lula, reabilitado politicamente pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e em condições de disputar a Presidência da República em 2022 —, Cabral prefere não comentar.

“Não sou mais um agente político para fazer avaliação de quadros. Não cabe a mim falar sobre isso. É uma decisão de vida. Eu me desfiliei do partido. Na minha vida, não é hora de política”, afirma.

Leia também: “Vídeo: Cabral acusa Toffoli de ter vendido sentenças no TSE; assista”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários

  1. Realmente é difícil entender o que ocorre nesse manicômio judiciário. Não estou aqui defendendo meliantes, mas esta qualificação ao nosso STF foi feita por Gilmar Mendes quando Advogado Geral da União de FHC, aquele diplomata que enganou tucanos por muito tempo e que sempre esquece o que escreveu.
    Indicado por FHC ao STF, assim foi recebido quando ingressou: “bem vindo ao manicômio”.
    Nesta Corte encontramos o iluminado Barroso, presidente do TSE, que em sessão plenária assim agrediu seu coleguinha Gilmar : “você é uma pessoa horrível, uma mistura do mal com o atraso e pitadas de PSICOPATIA”.
    Afinal, quem mais ofende o STF?. Bolsonaro ou seus próprios ministros? O que Fux quer dizer quando declara que ofensa a um membro da Corte é ofender a todos seus membros? Bolsonaro só falou que Barroso mente e Barroso fez grave ofensa moral a Gilmar.

  2. Cabral, se você fosse do PT, o STF já teria dado lhe dado liberdade e poderia inclusive concorrer às próximas eleições. Da próxima vez, escolha a quadrilha certa!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro