Damares: Campanha de abstinência sexual para jovens será ação permanente

Ministra Damares Alves defende que campanha de abstinência sexual destinada a adolescentes seja política pública permanente
-Publicidade-
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil | A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Em entrevista à Oeste, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos afirma que campanha relacionada à abstinência sexual “Tudo Tem Seu Tempo” será política pública federal

damares
A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, defendeu em entrevista à revista Oeste que a campanha de abstinência sexual destinada à adolescentes, chamada “Tudo Tem Seu Tempo”, torne-se uma política pública permanente do governo federal.

-Publicidade-

Leia a entrevista completa: Damares é Pop

Lançada em fevereiro, às vésperas do Carnaval, a campanha tinha o objetivo de conscientizar os adolescentes para que eles adiem o início da vida sexual. A ideia do Ministério era usar a campanha como ferramenta para evitar a gravidez precoce. Hoje, no Brasil, 15% dos nascidos vivos são de mães com até 19 anos de idade.

Para a ministra, entretanto, é preciso coragem de enfrentar essa temática no Brasil. “A campanha Tudo Tem Seu Tempo vai ser um programa, uma política pública permanente. Queremos prevenir a gravidez na infância e na adolescência. Hoje, temos muitos casos de meninas de 11 anos que estão engravidando e precisamos atacar isso. Então, quando falo que ‘tudo tem seu tempo’, não há ingrediente religioso nisso. É questão de saúde pública. E é preciso coragem para encarar esse tema”, disse a ministra à Oeste.

Para ela, ainda é muito prematuro saber se a campanha realizada no carnaval deu ou não resultado. “É muito difícil medir o resultado de uma campanha iniciada no período de carnaval. É pouco tempo para sabermos se houve diminuição no número de adolescentes grávidas no país. Agora, esse tema não será reduzido a uma ação específica”, descreveu Damares.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Engraçado como o Brasil se escandaliza com o NORMAL e aceita o ANORMAL como regra. Quem precisa orientar os filhos são os pais e não blogueiros pedófilos, Malhação, Fátima Bernades e por aí vai! Os Estados Unidos faz isto e ninguém condena.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.