Governado pelo PT, o Ceará decreta estado de emergência ambiental

Estado nordestino é comandado desde 2015 pelo petista Camilo Santana
-Publicidade-
De acordo com o próprio governo estadual, Ceará está em emergência ambiental | Foto: DIVULGAÇÃO/GECE
De acordo com o próprio governo estadual, Ceará está em emergência ambiental | Foto: DIVULGAÇÃO/GECE | estado de emergência ambiental no ceará - camilo santana - pt

Estado nordestino é comandado desde 2015 pelo petista Camilo Santana

estado de emergência ambiental no ceará - camilo santana - pt
De acordo com o próprio governo estadual, Ceará está em emergência ambiental
Foto: DIVULGAÇÃO/GECE

O Ceará passa a enfrentar período de estado de emergência ambiental. A situação do Estado do Nordeste foi oficializada por meio de decreto publicado na última semana. No documento, o governo local fala em “risco de incêndios florestais e queimadas”.

-Publicidade-

Leia mais: “Imagem da Nasa prova que a Floresta Amazônica não está em chamas”

Chancelada pelo governador Camilo Santana, petista que está no comando do Ceará desde 2015, a instauração do estado de emergência ambiental permitirá a contratação de profissionais para ajudar no combate aos incêndios. De acordo com o próprio governo cearense, serão investidos recursos para ampliar a equipe de “brigadistas ambientais nas unidades de conservação estaduais”.

Já em vigor, o estado de emergência ambiental no Ceará permanecerá até janeiro de 2021. Nesse sentido, a Secretaria do Meio Ambiente (Sema) informa que essa é a primeira vez na história que o Estado nordestino convive com essa situação. Em outras ocasiões, o povo cearense já havia encarado, no entanto, decretos relativos a estiagem ou a inundações.

Comitê

Além de já avisar que contratará mais profissionais, o governo de Camilo Santana informa que o trabalho de combate aos incêndios e às queimadas conta com um comitê. “[O comitê será] responsável pelo monitoramento, por satélites meteorológicos, de focos de calor que podem representar possíveis queimadas ou incêndios florestais ao longo do território cearense e das condições meteorológicas à superfície que facilitam a ocorrência e a propagação do fogo na vegetação”, comunica o governo cearense.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES: “Uma fake news amazônica” — artigo de J. R. Guzzo publicado na Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários Ver comentários

  1. Eeheheheheh! Esse tal de comilo santana…é uma peça, não? Estado de emergência…? Sei…! Contratar sem licitação…mais pessoal para as unidades de defesa florestal….
    Essa gente e o coronelismo dos gomes já fizeram tão mal ao pobre Estado do Ceará e à sua valente população e ainda continuam querendo arrancar mais e mais…
    Quem já esteve, como eu, lá por aquelas bandas, sabe o que estou falando…está tudo sucateado…só para dar um exemplo: A ligação entre a capital Fortaleza e a segunda maior cidade do estado (Sobral) é um horror…é um buraco atrás do outro , não é duplicada e viajar de noite é muito perigoso. E notem que Sobral, além de segunda cidade do estado é o curral eleitoral dos Gomes…
    Se fazem isso com seu próprio povo, imagina se esses coroneis de retroescavadeira mandassem em alguma coisa neste país….
    Cruz credo, vai de retro satanás!

  2. Sei, Camilo fantoche dos Gomes. Mais uma possibilidade de negócios cabulosos, em muitos casos talvez com incêndios, sabe como é, né? Camilo é manobrado pelos Gomes e responsável pelo genocídio da Covid 19 no Ceará. Tomara que a História seja impiedosa com Camilo e com os Gomes. Tomara!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.