Governo estuda erradicar a pobreza com recursos das privatizações

Ministros apresentaram a proposta aos presidentes do Senado e da Câmara
-Publicidade-
O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Cidadania, João Roma <i>(à dir.)</i>
O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Cidadania, João Roma (à dir.) | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O governo estuda destinar os recursos arrecadados com as privatizações a duas frentes. Em uma, como sugeriu o ministro da Economia, Paulo Guedes, em maio, a um fundo para a erradicação da pobreza. Na outra, ao pagamento de precatórios. Na segunda-feira 2, alguns ministros apresentaram a proposta aos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). De acordo com o Blog do Camarotti, do portal G1, o Bolsa Família seria incrementado e poderia mudar o nome para Auxílio Brasil.

“Como este será um valor eventual, ele seria repassado para o fundo que vai fortalecer em certos momentos o programa social e também para o pagamento de precatórios”, disse o ministro da Cidadania, João Roma, que esteve na reunião. “A Constituição já versa sobre precatórios. Não vamos dar calote. O que buscamos é um escalonamento num valor para viabilizar um espaço fiscal para, inclusive, o programa social.”

 

-Publicidade-
Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro