Massacre na escola Raul Brasil, em Suzano, completa 1 ano

Para melhorar o ambiente escolar, reformas foram feitas por meio de uma parceria público-privada
-Publicidade-
Homenagens às vítimas do tiroteio na escola Raul Brasil, em Suzano, São Paulo.
Homenagens às vítimas do tiroteio na escola Raul Brasil, em Suzano, São Paulo.

Para melhorar o ambiente escolar, reformas foram feitas por meio de uma parceria público-privada

Completa nesta sexta-feira, 13, um ano do massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, SP, que deixou 7 pessoas mortas.

-Publicidade-

Os assassinos, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, eram ex-alunos do colégio.

Eles entraram no escola encapuzados na manhã de uma quarta-feira e mataram cinco alunos e duas funcionárias. Em seguida, um dos assassinos atirou no comparsa e, então, se suicidou.

Pouco antes do massacre, a dupla havia matado o proprietário de uma loja da região.

Como registra o jornal Folha de S.Paulo, os locais em que os alunos foram baleados e mortos ganharam nova cara para melhorar o clima escolar.

Para as obras, foram captados R$ 2,7 milhões da iniciativa privada e outros R$ 400 mil de recursos da secretaria.

A escola agora tem novos prédios, nova quadra esportiva, salas mais amplas e um laboratório para estimular o aprendizado por meio da tecnologia.

A Raul Brasil também conta com uma biblioteca maior.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.