Ministério Público denuncia 16 por assalto a banco em Santa Catarina

Até o momento, 13 dos 16 denunciados estão presos; crime ocorreu em novembro do ano passado e envolveu dez carros de luxo e armamento pesado
-Publicidade-
Dezesseis suspeitos de participarem de assalto a banco em Criciúma (SC) foram denunciados pelo Ministério Público
Dezesseis suspeitos de participarem de assalto a banco em Criciúma (SC) foram denunciados pelo Ministério Público | Foto: Lucas Colombo/Estadão Conteúdo

O Ministério Público de Santa Catarina denunciou, na quarta-feira 31, 16 pessoas suspeitas de integrarem o bando que assaltou um banco em Criciúma (SC), em novembro do passado, informa o G1. O caso foi noticiado por Oeste.

Segundo as investigações, pelo menos seis pessoas ocupam funções importantes na estrutura da facção que organizou o assalto. Até o momento, 13 dos 16 denunciados estão presos — os outros três seguem foragidos e são procurados pela polícia. Todos tiveram prisão preventiva decretada.

-Publicidade-

Leia mais: “Quadrilha assalta banco e promove terror em Criciúma”

Relembre o caso

No final da noite de 30 de novembro de 2020, a quadrilha — composta por cerca de 30 criminosos — entrou em ação, utilizando dez carros de luxo, e sitiou o centro da cidade para assaltar uma agência bancária. O grupo, fortemente armado, invadiu a tesouraria regional do Banco do Brasil, provocou incêndios de carros e ônibus, bloqueou ruas e acessos à cidade, usou reféns como escudos e atirou várias vezes contra a Polícia Militar (PM). Um agente e um vigilante ficaram feridos. Ninguém morreu. Os bandidos conseguiram fugir com parte do dinheiro, mas deixaram R$ 810 mil para trás.

Leia também: “Polícia prende 5 suspeitos de assalto a banco”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.