-Publicidade-

O silêncio pouco inocente da imprensa

Ao aceitar que figuras como o youtuber infanto-juvenil Felipe Neto fale bobagens sobre política sem refutá-las, jornalistas são coniventes com a banalização da verdade.
O youtuber Felipe Neto | Foto: Reprodução
O youtuber Felipe Neto | Foto: Reprodução

Ao aceitarem que figuras como o youtuber infantojuvenil Felipe Neto fale bobagens sobre política sem refutá-las, jornalistas são coniventes com a banalização da verdade

O youtuber Felipe Neto | Foto: Reprodução

Já não basta à esquerda chamar qualquer pessoa que não concorde com seus pontos de vista de fascista. É preciso agora que sejam aceitas as bobagens que são ditas por gente despreparada, como o youtuber Felipe Neto, sem que nada seja questionado.

Pelo menos foi essa a impressão passada por um programa recente de TV que entrevistou o astro infantojuvenil que deixou os brinquedos e games para se arriscar na difícil seara da política brasileira, desastrosamente, como mostra a coluna desta semana de Ana Paula Henkel para a Revista Oeste, “Todo mundo de que não gosto é fascista”.    

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Esta Revista, talvez sem dar-se conta e ao publicar diversas fotografias dele, está divulgando e ampliando a imagem desse boquirroto chamado Felipe Neto, que influencia (incrível, mas é) tão deleteriamente – com as suas sandices arrogantes – milhões de crianças e adolescentes.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês