PF faz operação que investiga fraudes em registros sindicais

Irregularidades teriam sido cometidas no antigo Ministério do Trabalho
-Publicidade-
A PF identificou o desvio de mais de R$ 2,5 milhões do Ministério do Trabalho por um único representante sindical
A PF identificou o desvio de mais de R$ 2,5 milhões do Ministério do Trabalho por um único representante sindical | Foto: Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) iniciou nesta terça-feira, 22, mais uma fase da Operação Registro Espúrio, com a finalidade de apurar suposto esquema de ocultação de bens obtidos através de fraudes em registros sindicais no antigo Ministério do Trabalho. No governo do presidente Jair Bolsonaro, a pasta foi incorporada ao Ministério da Economia. Segundo a Justiça, uma organização criminosa formada por políticos e servidores fraudou concessões de registros de sindicatos.

“China faz aporte milionário em sindicatos brasileiros”

-Publicidade-

Nesta manhã, agentes cumprem quatro mandados de busca e apreensão em Brasília. A PF identificou o desvio de mais de R$ 2,5 milhões do Ministério do Trabalho por um único representante sindical. Conforme a TV Globo, trata-se de Mauri Viana, presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Celetistas nas Cooperativas no Brasil. O homem teria utilizado a própria empresa de modo a ocultar patrimônio. Caso venha a ser preso e condenado, pode pegar 10 anos de cadeia.

A gênese dos trabalhos

A primeira fase da Operação Registro Espúrio foi deflagrada em maio de 2018. Na ocasião, a PF fez buscas nos gabinetes dos deputados federais Paulinho da Força (SD-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB). Dois dias depois da primeira fase da ação dos agentes, o então Ministério do Trabalho suspendeu a concessão de registros sindicais por 30 dias, posteriormente o período foi renovado por mais tempo.

Na segunda fase, deflagrada em junho, o alvo da PF foi a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ). Na terceira fase da operação, o então ministro do Trabalho foi afastado do cargo. Na quarta fase da operação, Mauri Viana foi preso temporariamente em Londrina, no norte do Paraná. Na ocasião, a PF cumpriu, ao todo, nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão em quatro Estados.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site