Por coronavírus, Covas determina fechamento do comércio em São Paulo

A decisão, sem precedentes, foi anunciada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) e veda o atendimento presencial até 5 de abril. A medida não vale para supermercados, farmácias, padarias, restaurantes, lanchonetes, postos de combustíveis e feiras livres.
-Publicidade-
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Medida começa amanhã e vai até 5 de abril

A prefeitura de São Paulo emitiu um decreto nesta quarta-feira, 18, determinando o fechamento do comércio a partir de sexta-feira, 20.

-Publicidade-

A decisão, sem precedentes, foi anunciada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) e veda o atendimento presencial até 5 de abril.

A medida não vale para supermercados, farmácias, padarias, restaurantes, lanchonetes, postos de combustíveis e feiras livres.

Segundo a prefeitura, o comércio ambulante também será proibido.

“Cabe às Subprefeituras, de acordo com o decreto, suspender os Termos de Permissão de Uso de profissionais autônomos localizados em áreas de grande concentração de ambulantes. E à Guarda Civil Metropolitana, intensificar a retirada de todo comércio ambulante ilegal”, informa a nota.

Para os estabelecimentos que continuarão abertos, as ações de limpeza vão ser intensificadas e o álcool em gel terá de ser disponibilizado aos clientes.

No caso de lanchonetes e restaurantes, deverá ser mantido o espaçamento mínimo de 1 metro entre as mesas.

Mais cedo, o governador do Estado, João Doria (PSDB), recomendou o fechamento de shoppings e academias da capital paulista e da Grande São Paulo.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.