Santa Catarina, Pará e Mato Grosso concentram maior número de manifestações

PRF divulgou balanço no início da tarde e apontou 267 pontos de interdição em rodovias federais
-Publicidade-
Rodovia Anhanguera, na altura do km 188, sentido capital, em Leme, no interior de São Paulo
Rodovia Anhanguera, na altura do km 188, sentido capital, em Leme, no interior de São Paulo | Foto: Igor do Vale/Estadão Conteúdo

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) está com o efetivo mobilizado para desobstruir as rodovias federais pelo país. Nesta terça-feira, 1º, os agentes realizaram uma entrevista coletiva para divulgar um balanço sobre as manifestações.

Até as 12 horas, eram 267 pontos de interdição ativos em 22 Estados e no Distrito Federal, sendo que as maiores concentrações foram registradas em Santa Catarina, Pará e Mato Grosso.

O ápice dos bloqueios nas rodovias federais aconteceu durante a tarde de segunda-feira 31, com o registro de 421 interdições no país. Desde então, cerca de 300 pontos foram desobstruídos.

-Publicidade-

Segundo o diretor-executivo da PRF, Marco Territo, o órgão solicitou apoio da Polícia Federal, da Força Nacional de Segurança e policiais militares estaduais e de outras forças de segurança para “restabelecer a ordem o quanto antes e liberar o trânsito nas rodovias e garantir o direito de ir e vir e o escoamento de mercadorias nas rodovias federais”, disse.

“Essa manifestação é complexa por não termos conseguido identificar as lideranças do movimento. Desse modo, temos dificuldades em verificar qual seria a pauta de reivindicações, prejudicando as negociações”, destacou o diretor-executivo.

De acordo com a PRF, em vários dos pontos, os policiais identificaram manifestantes com a presença de famílias, crianças e pessoas de idade. “Então, temos que atuar de forma coordenada”, disse Territo, durante a coletiva. Segundo ele, o protocolo de atuação envolve a aplicação de multa aos manifestantes, que variam de R$ 5,8 mil a R$ 17,6 mil, “inclusive, aqueles que dão apoio logístico às obstruções”.

Em um balanço parcial, até a madrugada de hoje já foram aplicadas 182 autuações administrativas em desrespeito ao Código de Trânsito Brasileiro.

O setor de inteligência da PRF afirmou que a crise escalou muito rápido. Às 23h30, do domingo 30, eram 27 pontos de bloqueio. Meia hora depois já havia 37 registros. No início da madrugada, a PRF identificou 111 interdições. “Nós não tínhamos nenhum elemento de que a crise teria essa envergadura”, admitiu Luís Carlos Reischak, diretor de inteligência do órgão.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Interessante ver a Jovem Pan se curvar e se tornar neoesquerdista. Zé Maria Trindade sempre foi um mentecapto, mas outros, insultando os caminhoneiros, provoca engulhos. RIP Jovem Pan.
    Entendo a desesperança dos caminhoneiros, mas já deram seu recado, já podem desmobilizar. O Mussolini de toga está louco e pode exigir que as polícias abram fogo. Saber a hora de recuar é um dos segredos da vitória.

  2. Ver no Morning Show o Paulo Mathias e o Leonardo chamarem caminhoneiros de VAGABUNDOS foi deplorável. É jogar gasolina na situação.

    ACORDA JOVEM PAN!! A CNN caiu pra terceira colocação por causa desse tipo de postura contra a direita.

  3. Aguardando o pronunciamento do Presidente Bolsonaro se for pra parar tudo eu apoio , nós fomos enganados pela quadrilha organizada da esquerda , alguém tem dúvida ? atentos por aqui..

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.