São Paulo identifica surto de meningite

Secretaria da Saúde recomenda a vacinação para todos os moradores da cidade, contudo, não há motivo para alarmismo
-Publicidade-
Segundo o Ministério da Saúde, a cobertura vacinal de meningite meningocócica C está, atualmente, 42,5% na capital paulista
Segundo o Ministério da Saúde, a cobertura vacinal de meningite meningocócica C está, atualmente, 42,5% na capital paulista | Foto: Divulgação

Na terça-feira 27, a prefeitura de São Paulo confirmou a morte de uma moradora da zona leste por causa da meningite. A mulher, de 42 anos, morava na Vila Formosa, bairro que já teve cinco casos confirmados da doença nos últimos dois meses.

Segundo a classificação da Secretária Municipal da Saúde, isso configura uma situação de surto. Por causa do cenário, os moradores de Vila Formosa e Aricanduva estão sendo convocados a irem aos postos de saúde para se vacinar contra a doença.

A assessoria de imprensa da prefeitura informou que recomenda a vacinação para todos os moradores de São Paulo nos postos públicos espalhados pela cidade. Contudo, informa que não há motivo para alarmismo, e que a vacinação está sendo recomendada por precaução.

-Publicidade-

Segundo dados do Ministério da Saúde, a cobertura vacinal de meningite meningocócica C está, atualmente, em pouco mais de 40% na capital paulista e em cerca de 50% em todo o território nacional. Em 2015, ambas estavam em aproximadamente 100%.

Apesar do alerta, o número de casos na cidade diminuiu neste ano, na comparação com 2019, ano anterior à pandemia de covid-19. Em nove meses, foram notificados 56 casos de doença meningocócica em toda a capital. Durante o mesmo período de 2019 (janeiro a setembro) foram registrados 158 casos, ou seja, uma redução de 64,5% no âmbito geral.

Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, a recomendação comum é que as pessoas se vacinem contra as meningites a cada cinco anos. Em caso de surtos, o reforço também é recomendado.

O que é meningite?

A meningite é uma inflamação do sistema nervoso central nas quais as membranas que envolvem cérebro e a medula espinhal, chamadas meninges, são afetadas. Há vários tipos de meningites, todas com vacinas disponíveis, e a transmissão também pode ocorrer por meio de bactérias, fungos ou vírus.

Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, febre, náusea e vômito, principalmente. Normalmente a pessoa também apresenta uma dificuldade de mover o pescoço, há uma rigidez de nuca.

Caso os sintomas sejam detectados, a orientação é buscar imediatamente um hospital, pois a doença pode evoluir com rapidez.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.