-Publicidade-

Última paciente tem alta e hospital de campanha do Anhembi é fechado

De acordo com a prefeitura, o custo de montagem do hospital de campanha foi de 7,5 milhões de reais
A aposentada Guiomar Sargo de Lima, de 83 anos, se tornou a última paciente de covid-19 a receber alta e deixar o hospital de campanha do Anhembi | Foto:  Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo
A aposentada Guiomar Sargo de Lima, de 83 anos, se tornou a última paciente de covid-19 a receber alta e deixar o hospital de campanha do Anhembi | Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo

De acordo com a prefeitura, o custo de montagem do hospital de campanha foi de 7,5 milhões de reais

Anhembi
A aposentada Guiomar Sargo de Lima, de 83 anos, se tornou a última paciente de covid-19 a receber alta e deixar o hospital de campanha do Anhembi | Foto: Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo

A aposentada Guiomar Sargo de Lima, de 83 anos, foi a última paciente de covid-19 a receber alta do hospital de campanha do Anhembi, em São Paulo, que encerrou suas atividades nesta terça-feira 8.

Após 12 dias internada e sem poder receber familiares, ela se curou da doença e na saída foi aplaudida por funcionários da unidade.

LEIA MAIS: Doria sobre movimentação nas praias: ‘Encontro com a morte’

Construída em caráter de urgência pela prefeitura, o hospital de campanha fechou as portas após quase cinco meses.

Durante a pandemia, a capital paulista chegou a ter quatro hospitais de campanha, mas agora só dois continuam funcionando, ambos do governo do Estado, e tratam menos de 150 pacientes no momento. Um deles, em Heliópolis, na zona sul, também deve fechar.

Mais de 5,5 mil pessoas chegaram a ficar internadas nos hospitais de campanha da cidade. Entretanto, com a queda na demanda, as unidades têm sido encerradas.

Números

O hospital chegou a ter 561 leitos ativos, mas a ocupação passou a diminuir com o declínio da demanda. O local recebeu ao todo 6.351 pacientes e contabilizou 32 mortes.

De acordo com a prefeitura, o custo de montagem do hospital de campanha foi de R$ 7,5 milhões e sua manutenção mensal ficava próxima de R$ 28 milhões. Com os fechamentos parciais, o custo caiu para R$ 9 milhões ao mês.

Com informações do Estadão Conteúdo

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês