Vacinas contra covid são experimentais e ultrapassadas, afirma médica

De acordo com a especialista, os imunizantes 'talvez consigam impedir formas graves da doença'
-Publicidade-
A médica Gracian Li Pereira
A médica Gracian Li Pereira | Foto: Reprodução/Assembleia do Rio Grande do Sul

As vacinas em uso para conter a covid-19 não impedem a contaminação e a transmissão da doença, afirmou a médica Gracian Li Pereira — que tem mestrado em epidemiologia. De acordo com a especialista, os imunizantes disponíveis “talvez consigam impedir formas graves da doença”. Seu depoimento ocorreu na quarta-feira 20, durante uma audiência pública promovida pela Comissão de Economia, Desenvolvimento Sustentável e Turismo da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

Leia também: “Os higienistas”, artigo de Guilherme Fiuza publicado na Edição 83 da Revista Oeste

Gracian argumentou que, segundo um estudo feito com a população de Israel, a eficácia da vacina da Pfizer, “que era entre 80% e 90%”, caiu para 40% em razão das novas cepas da do coronavírus Sars-CoV-2. Na opinião da médica, ninguém tem o direito de obrigar outra pessoa a se vacinar “por meio da coerção estatal”.

-Publicidade-

Íntegra do depoimento da médica Gracian Li Pereira

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

9 comentários Ver comentários

  1. Do jeito que alguns vacinados estão torcendo o nariz com ” nojo” de não vacinados, isso remete a tempos sombrios, logo, passo a torcer o nariz também para esse tipo de indivíduo que é facilmente manipulável, alcaguete e foi cúmplice de um genocídio nos idos da década de 40.

  2. Tem que aparecer um medicamento como o Tamiflu que combate o H1N1, um antiviral
    especifico e eficiente, se não isto não vai ter fim pois o vírus sofre mutações, mas os caras lá da CPI sabem melhor sobre este assunto.

  3. Meu Senhor.
    _ Nenhuma vacina e feita com o vírus inteiro, a não ser inativado (isso ela deveria saber)
    _ Vacina RNA mensageiro, é novidade sim. Adorei tomar a Pfizer. Mas todas no caso da Covid-19 foram novidade. Risco é ter Covid, e não tomar vacina.
    – Em relação à Israel, é notório que a variante delta se propagou rapidamente pela interrupção das medidas restritivas. É sabido atualmente, que para controlar a pandemia, uma 3° e 4° dose serão necessárias. No dia em que Gracian Li Pereira deu esta entrevista, Israel tinha 901 nos casos e 8 mortes.
    _ Ficar junto para ter Varicela…. Claro! Na época todos eram vacinados. ai ai , sem noção.
    – Gripe. Não se vacinam todos de uma vez por quê não temos condições de fazê-lo.
    – Realmente você pode adquirir anticorpos depois de ter a doença Covid-19. “SE” você sobreviver.
    – Adultos coagidos a serem vacinados? Bom, eu não sou obrigada a trabalhar ou estudar com quem não se vacinou. Quem não se vacinou tem a opção de apresentar os exames/testes de COVID-19
    – Não sei qual é o problema de criança tomar vacina. Não tomamos todas as vacinas quando éramos crianças?
    – Medicamento usado há anos? Seria Cloroquina? kkkk.
    – A discussão é científica sim, uma vez que o outro pode me contaminar. Se trata de Saúde Pública.
    – Estupro é outra coisa. As vezes pode até ser escutar barbáries.

  4. Epidemiologista está certa e errada. Certa pq real// tudo indica que não impede 100% de transmissão de vacinados contaminados ; Errada na vacinação obrigatória – – > qto menos mitigarmos a transmissão / disseminação, maior a probabilidade de novas cepas e novas epidemias. O Coletivo vem acima do Individual. Não quer se vacinar, se isole pelo bem comum.

    1. Mas Dr. Gustavo, se o senhor tiver adquirido o vírus e tem portanto imunidade natural com anticorpos neutralizantes atestados, também precisa vacinar? Para que, se até vacinados com 2 doses a “ciência” já pede para fazer a 3a. dose? Não sou médico, mas essa pandemia os desumanizou. Como pode então alguns países como o nosso já estarem com a 3a. dose e outros ainda não tiveram sequer a 1a.? A OMS tem feito enormes apelos humanitários para salvar essas populações. Com a globalização e intercambio entre os países, adianta vacinar alguns e outros não? O vírus não visita todos?

  5. E Bolsonaro “assinou” um termo de compromisso com o Temer, que é o dono do Alexandre de Moraes. Temer não está cumprindo e Bolsonaro está cumprindo. Acho que o ano que vem será o divisor de águas. Pelo menos espero que não seja tarde demais. Até agora o Bolsonaro só engoliu sapo, aliás o ranario inteiro. Até março de 2022, se chegarmos até lá com Bolsonaro como presidente, veremos de que lado está Bolsonaro. Após isso, caso não acontecer nada, rezem para aparecer algum “salvador da patria”, e não se enganem com Moros ou Dorias.

  6. Vacinar-se deve ser antes de tudo uma escolha individual, segundo o que dispuser fatores absolutamente intrínsecos a cada ser humano.
    A imposição atende a interesses das Bigfarmas, associados ao grande laboratório da tirania hoje montado no mundo.

  7. Nunca ouvi algo tão obvio, tão visível e verdadeiro, quanto o que essa epidemiologista disse, ser tão combatido, tão politizado, só mesmo numa sociedade doente como essa nossa. A vacina, quando testada e estudada em um tempo determinado, é um auxiliar poderoso como as que todos nós tomamos quando crianças para PREVENIR doenças virais já conhecidas e com outros tipos de vírus. Sempre foi assim. Ao contrário desses Sars-Cov-2 estão EXPERIMENTANDO essas vacinas em larga escala diretamente na população para tentar CURAR um vírus que se apresenta em várias mutações, agora temos uma tal AY-4.2 que apareceu na Europa que é uma variante da variante delta, então essas vacinas jamais acompanharão essas mutações que estarão sempre vários passos à frente dessas novas vacinas é como se fosse uma corrida que jamais venceremos é o que eu acho como leigo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.