Apesar da covid-19, exportação de carne deve crescer 8,8%

Setor encerrará o ano com faturamento de US$ 8,53 bilhões
-Publicidade-
Foto: Divulgação/Abiec
Foto: Divulgação/Abiec | Foto: Divulgação/Abiec

Setor encerrará o ano com faturamento de US$ 8,53 bilhões

apesar da covid-19
Estimativa é de associação que representa 32 empresas | Foto: Divulgação/Abiec
-Publicidade-

A Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) informou nesta sexta-feira, 18, que o volume de carnes bovinas exportadas pelo Brasil deve ser de 2,2 milhões de toneladas até o fim deste ano. Portanto, 8,8% maior que o total de 2019. Caso a previsão se confirme, o setor encerrará o ano com faturamento de US$ 8,53 bilhões. Sendo assim, 11,8% acima do atingido no ano passado. De janeiro a novembro, as vendas somaram 1,84 milhão de toneladas, superando em 9% o volume registrado nesse período, em 2019. Ao longo dos últimos onze meses, o faturamento cresceu 13,9%, chegando a US$ 7,76 bilhões. De acordo com a Abiec, a China é o país com o maior apetite pelo produto brasileiro.

Leia também: “Coronavírus: Empresas aéreas farão transporte gratuito da vacina”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comment

  1. Exportar 8,5 Bilhões. Crescer 8,8% . Parabéns. Os estrangeiros vão comer carne bovina brasileira e nós vamos comer frango. Por quê? Essa oferta espetacular e esse crescimento assombroso não evita que os preços no mercado interno continuem crescendo exponencialmente. Então- repito- parabéns aos gringos que comerão nossa carne com o nosso sacrifício interno. O agronegócio vai de vento em popa em todos os setores e nós por aqui amargando a mais alta inflação de alimentos dos últimos anos. Não adiante aparecer alguém para dizer que os preços das comódites são regulados pelo mercado internacional no dólar. Sempre foi assim, mas tínhamos preços suportáveis no mercado interno até há poucos meses.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site