Comércio deve ter alta de 5,3% nas vendas para o Dia dos Pais

Estimativa de crescimento também se estende para vagas temporárias no varejo
-Publicidade-
Alta das vendas se dará mesmo com inflação, que atingiu vestuário masculino, por exemplo, em 21,9%
Alta das vendas se dará mesmo com inflação, que atingiu vestuário masculino, por exemplo, em 21,9% | Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que as vendas para o Dia dos Pais, a ser comemorado no domingo 14, serão na ordem de R$ 2,7 bilhões. O total representa uma alta de 5,3% em relação ao volume comercializado no ano passado. Naquele momento, o varejo ainda estava em processo de volta da circulação dos consumidores.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, disse nesta terça-feira, 9, que o Dia dos Pais é a quarta data comemorativa mais importante para o comércio varejista brasileiro em termos de venda. Mesmo com a inflação elevada, a perspectiva é positiva para o setor. “Houve injeção de recursos extraordinários, como os saques nas contas de FGTS, a antecipação do décimo terceiro salário de aposentados e pensionistas do INSS e a ampliação do Auxílio Brasil, tanto do valor do benefício quanto do número de beneficiários”, enumerou.

Os preços de produtos e serviços relacionados ao Dia dos Pais estão 8,6% mais altos em relação ao ano passado. Apenas computadores pessoais estão mais baratos do que em 2021 (2,4% a menos) entre os 13 itens analisados. As altas mais expressivas estão nas roupas masculinas, que subiram 21,9%; nos tênis, com avanço de 18,2%; e nas bebidas alcoólicas, com elevação de 17%.

-Publicidade-

A CNC lembrou que a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no último mês de maio, mostrou que o faturamento real do varejo já tinha atingido 3,9% acima do volume registrado às vésperas da pandemia, em fevereiro de 2020, e 3,0% maior do que em agosto do ano passado.

Para o economista da CNC Fábio Bentes, responsável pela pesquisa, o fim da pandemia pode explicar a alta prevista nas vendas para o Dia dos Pais. “Praticamente todo o fluxo de consumidores perdido ao longo das fases mais agudas da crise sanitária foi restabelecido”, explicou. Em julho, o comércio registrou a quinta alta seguida.

De acordo com a confederação, o Sudeste deve representar mais da metade das vendas. Em São Paulo, são estimadas vendas na casa dos R$ 2,3 bilhões; em Minas Gerais, R$ 662,7 milhões; e no Rio de Janeiro, R$ 612,5 milhões. Também são esperadas altas significativas nas vendas no Ceará (+17,2%), Espírito Santo (+12,2%) e Rio Grande do Sul (+11,0%).

Crescimento das contratações temporárias

Com o crescimento das vendas, a entidade também estima aumento nas contratações de trabalhadores temporários. A expectativa é a criação de 18,5 mil vagas temporárias para a data. Se o número se confirmar, será o maior contingente desde 2014, quando alcançou 20,3 mil. O salário inicial no varejo está próximo de R$ 1,6 mil, na média. O valor significa aumento de 1,2% em termos nominais em comparação ao mesmo período do ano passado.

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.