Netflix perde 7% de valor com baixo número de inscrições

Empresa enfrenta crise, com usuários antigos abandonando a plataforma e surgimento de concorrentes, como Amazon e Disney+
-Publicidade-
A saída de assinantes foi a maior desde 2011
A saída de assinantes foi a maior desde 2011 | Foto/Reprodução: Divulgação

Depois de perder cerca de 200 mil assinantes no primeiro trimestre de 2022, as ações da Netflix apresentaram uma queda de mais de 7% na quarta-feira 18. Em contrapartida, Amazon e Disney+ fecharam em alta.

Segundo dados da Antenna, uma empresa de relações públicas dos EUA, os usuários que cancelaram a assinatura do gigante do streaming eram aqueles que usavam o plano há mais de três anos. Para a Parrot Analytics, plataforma que analisa o mercado desse serviço, o resultado é um reflexo do crescimento da demanda global por mais séries originais da Netflix.

“À medida que a demanda por originais da Netflix e todo o catálogo continua a cair nacional e globalmente, enquanto a demanda por originais em outros serviços cresce, a Netflix precisa reorientar sua estratégia de conteúdo para extrair o máximo valor de cada série encomendada”, afirmou em relatório.

-Publicidade-

Consequências drásticas

A última vez que a Netflix tinha registrado baixa em sua base de consumidores havia sido em 2011. Atualmente, a plataforma conta com 221 milhões de assinantes ao redor do mundo.

Em comunicado aos acionistas da empresa, a direção da Netflix argumentou que a inflação global, aliada à guerra na Ucrânia, impactou os negócios nos primeiros meses de 2022. Além do número de usuários, o preço das ações da empresa caiu 40% em abril.

Segundo o jornal The Sun, para reverter a atual situação drástica, a Netflix resolveu paralisar algumas produções, como os filmes The Wrap (adaptação da história em quadrinhos The Twits) e Bright 2, estrelado por Will Smith.

Novas soluções

Para compensar os baixos resultados, a Netflix anunciou que deve lançar ainda neste ano um plano mais barato, com anúncios publicitários.

De acordo com informações do site Deadline, a líder do mercado internacional de streaming havia planejado estrear a nova estratégia entre 2023 e 2024. Entretanto, o cancelamento considerável de assinaturas pela primeira vez em uma década e a queda dramática de ações levaram a Netflix a lançar o serviço mais cedo.

O novo modelo de negócio da empresa não é novidade no mercado, já que grandes concorrentes, como HBO e Amazon Prime, oferecem a opção mais barata para os seus usuários, em troca da exibição de propagandas nas telas.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Ainda penso que a NETFLIX tem um bom conteúdo. Apesar de ter reduzido. A Prime Vídeo possui poucos filmes bons. E os melhores precisaria assinaria canais dentro da plataforma. Não cancelei por o valor ser pequeno. HBO Max é a melhor. O conteúdo é muito bom.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.