-Publicidade-

Apenas 11 partidos se habilitam a receber o Fundo Eleitoral

Novo e PRTB abriram mão dos recursos, mas demais partidos ainda não cumpriram exigências para ter acesso às receitas.
Apenas 11 partidos já conseguiram acesso ao Fundo Eleitoral | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste
Apenas 11 partidos já conseguiram acesso ao Fundo Eleitoral | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste | fundo eleitoral, habilitação, tse, partidos, eleições 2020

Novo e PRTB abriram mão dos recursos, mas demais partidos ainda não cumpriram exigências para ter acesso às receitas

fundo eleitoral, habilitação, tse, partidos, eleições 2020
Apenas 11 partidos já conseguiram acesso ao Fundo Eleitoral | Foto: Afonso Marangoni/Revista Oeste

Apenas 11 dos 33 partidos políticos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cumpriram, até o momento, todas as exigências da legislação e podem receber recursos do Fundo Eleitoral para as eleições de 2020.

Dos R$ 2,03 bilhões disponibilizados pelo Tesouro Nacional para este fim, R$ 797,6 milhões terão como destino essas legendas, ou seja, 39,2% do valor total.

De acordo com o TSE, os partidos que já foram autorizados a receber os recursos são PSL (R$ 199,4 milhões); PSD (R$ 138,8 milhões); PSDB (R$ 130,4 milhões); PL (R$ 117,6 milhões); PTB (R$ 46,6 milhões); Solidariedade R$ 46 milhões); Patriota (R$ 35,1 milhões); PSC (R$ 33,2 milhões); Rede (R$ 28,4 milhões); PV (R$ 20,4 milhões); e PMB (R$ 1,2 milhão).

O partido Novo e o PRTB, que teriam direito a receber R$ 36,5 milhões e R$ 1,2 milhão, respectivamente, abriram mão das verbas do fundo.

Ainda segundo o TSE, os recursos são liberados às siglas somente “após a definição dos critérios para a sua distribuição, que devem ser aprovados pela maioria absoluta dos membros dos diretórios nacionais de cada agremiação e, posteriormente, informados e certificados pelo Tribunal.”

Em fase de análise estão os documentos encaminhados por PP (R$ 140,6 milhões), Republicanos (R$ 100,6 milhões), DEM (R$ 120,8 milhões), e DC (R$ 4 milhões).

Após o envio dos documentos, cabe à Presidência da Corte certificar que as petições dos partidos contêm todos os requisitos exigidos para a liberação do fundo, determinar a transferência dos recursos às contas bancárias informadas pelas legendas e publicar os critérios fixados pelos partidos.

Entre os critérios de distribuição do fundo está a obrigação de aplicação mínima de 30% do total recebido para o custeio da campanha eleitoral das candidatas do partido ou da coligação.

Os valores absolutos e os percentuais desse custeio devem ser amplamente divulgados pelos partidos, de forma a permitir o controle pela Justiça Eleitoral.

Com informações da Agência Brasil

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês