-Publicidade-

Contra ‘preconceito’, Nasa vai rever o nome de astros

Agência espacial inclui no rol planetas, nebulosas, estrelas e galáxias
Nasa cai nas graças do politicamente correto | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR
Nasa cai nas graças do politicamente correto | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR | Nasa cai nas graças do politicamente correto | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

Agência espacial inclui no rol planetas, nebulosas, estrelas e galáxias

contra preconceito
Nasa cai nas graças do politicamente correto | Foto: DIVULGAÇÃO/FLICKR

A agência espacial americana (Nasa) rendeu-se ao politicamente correto. Na quarta-feira 5, o órgão informou que irá renomear planetas, galáxias, nebulosas e estrelas, para não usar apelidos considerados “preconceituosos”. O primeiro caso identificado e que, portanto, não será mais utilizado pela agência é o da “nebulosa esquimó”: a NGC 2392, restos de uma estrela parecida com o Sol. A palavra “esquimó”, segundo a agência, é vista como um termo antigo e racista, usado de forma pejorativa contra indígenas das regiões árticas.

Leia também sobre “A nova política racial: separar brancos de negros”, artigo publicado na edição n° 19 de Oeste

Além disso, a Nasa também não usará o termo “galáxia dos gêmeos siameses”. O termo identifica o par de galáxias formado por NGC 4567 e NGC 4568, encontrado no Cluster Virgo Galaxy. No futuro, conforme a agência, deverão ser utilizados apenas nomes oficiais escolhidos pela União Astronômica Internacional. “Dessa forma, nosso objetivo é que todos os nomes estejam alinhados com nossos valores de diversidade e inclusão”, afirmou Thomas Zurbuchen, administrador da Diretoria de Missões da Nasa, em Washington.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês