Argentina suspende exportação de carne bovina e afeta empresas brasileiras

A medida visa reduzir os preços do alimento no mercado doméstico
-Publicidade-
Alberto Fernández é amigo de Lula e desafeto de Bolsonaro
Alberto Fernández é amigo de Lula e desafeto de Bolsonaro | Foto: Divulgação/Casa Rosada

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, suspendeu a exportação de carne bovina por 30 dias. Emitido na noite da segunda-feira 17, o decreto afeta frigoríficos brasileiros que estão entre os maiores exportadores sediados no país, como Minerva Foods e Marfrig. Da receita total da Marfrig, que obtém mais de 80% da geração de caixa nos EUA, os argentinos representam apenas 1,3%. Na Minerva, a representatividade da Argentina é maior — em torno de 10% da receita total e 27% da subsidiária Athena Foods.

Conforme o governo estrangeiro, a medida visa reduzir os preços do alimento no mercado doméstico. Os hermanos sofrem com a inflação elevada. A postura extrema de Fernández não diverge da que foi tomada pela gestão de Cristina Kirchner. Ao limitar os embarques em 2014, a peronista desestimulou a pecuária e, com isso, reduziu o rebanho argentino em 10 milhões de cabeças. Dessa forma, diminui o peso argentino no comércio internacional do produto. À época, empresários se queixaram, conforme noticiou o jornal La Nación.

Leia também: “O populismo pobre da Argentina”, reportagem publicada na Edição 30 da Revista Oeste

-Publicidade-
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.