Biden suspende restrições impostas a Cuba pelo governo Trump

As medidas marcam a mudança mais significativa na abordagem norte-americana ao regime comunista
-Publicidade-
Presidente dos EUA fez pronunciamento sobre assunto nesta terça | Foto: Adam Schultz/Casa Branca
Presidente dos EUA fez pronunciamento sobre assunto nesta terça | Foto: Adam Schultz/Casa Branca | Foto: Adam Schultz/Casa Branca

Os Estados Unidos anunciaram a partir desta terça-feira, 17, a suspensão de algumas restrições impostas a Cuba durante o governo de Donald Trump.

Na prática, as novas determinações facilitam, entre outros pontos, o envio de dólares de cubanos que moram nos EUA para seus familiares na ilha.

As medidas marcam a mudança mais significativa na abordagem norte-americana ao regime comunista desde que o presidente Joe Biden assumiu o cargo, em janeiro de 2021.

-Publicidade-

O Departamento de Estado, responsável pela diplomacia norte-americana, afirmou que os EUA suspenderão o limite das remessas a familiares, anteriormente fixado em US$ 1 mil por trimestre. Washington também permitirá que cubanos que morem no país enviem doações para pessoas da ilha que não sejam parentes.

Segundo a agência de notícias Reuters, os EUA usarão processadores eletrônicos de pagamento para evitar que os fundos sejam direcionados à ditadura cubana.

O governo Biden ainda expandirá as viagens autorizadas a Cuba, permitindo que voos regulares e fretados de e para o país usem aeroportos que não sejam em Havana. Além disso, os norte-americanos aumentarão o apoio aos empresários cubanos independentes, com o objetivo de facilitar o acesso à internet e ampliar o acesso a microfinanças.

Em comunicado, o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, disse que as medidas são para “fornecer ferramentas adicionais para os cubanos buscarem uma vida livre da opressão do governo cubano”.

Medidas não modificam embargo, segundo Cuba

Cuba classificou os anúncios como um “passo limitado na direção correta” e destacou que a decisão “não modifica o embargo” econômico imposto pelos norte-americanos em 1962 e em vigor até hoje.

No Twitter, o chanceler cubano, Bruno Rodríguez, escreveu que as medidas não alteram “os objetivos nem os principais instrumentos da política dos EUA para Cuba, que são um fracasso”.

Governo Trump

O ex-presidente Donald Trump limitou a concessão de vistos, restringiu as remessas de dinheiro, reduziu voos para a ilha e ampliou os obstáculos para norte-americanos que queriam viajar a Cuba a turismo ou a negócios. Ainda durante o governo do republicano, os EUA reduziram drasticamente a equipe da embaixada na capital cubana em 2017.

Leia também: “A anunciação da primavera cubana”, texto de Augusto Nunes publicado na edição 69 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.