Como a Coreia do Sul achatou a curva

No final de fevereiro, o número de casos do coronavírus explodiu na Coreia do Sul. De algumas dezenas, para algumas centenas e para muitos milhares. Porém, algo contrário do que muitos esperavam, o número de casos começou a cair. No último domingo foram reportados apenas 64 casos no país.
-Publicidade-
Gerd Altmann/Pixabay
Gerd Altmann/Pixabay

Com métodos que não são caros ou complexos, a nação asiática virou um exemplo mundial de combate ao coronavírus

Tubo de ensaio escrito "covid-19"

-Publicidade-

No fim de fevereiro, o número de casos do coronavírus explodiu na Coreia do Sul. De algumas dezenas para algumas centenas, para muitos milhares. Porém, algo contrário do que muitos esperavam, o número de casos começou a cair. No último domingo foram reportados apenas 64 no país.

A Coreia do Sul e a China são os únicos países até o momento que conseguiram “achatar a curva”. — com a diferença de que a Coreia do Sul não utilizou os métodos autoritários da China ou as restrições danosas à economia como a Europa e os Estados Unidos.

Países como a Suécia e a França já pediram auxílio e querem entender como o método sul-coreano funcionou de forma tão eficiente. A Organização Mundial da Saúde também não poupa elogios.

Confira como funciona o método da Coreia do Sul, de acordo com o jornal The New York Times.

1) Intervenção rápida, antes da crise

O governo pediu que as empresas desenvolvessem testes rápidos uma semana depois do primeiro caso, no fim de janeiro. O país agora produz mais de 100 mil kits para testes diariamente e já está em conversas para exportá-los para 17 países.

2) Teste cedo, em grande número e em segurança

A Coreia do Sul já realizou mais testes que qualquer outro país, sendo capaz de isolar e tratar as pessoas mais rapidamente. Cerca de 300 mil testes já foram feitos, e isso representa 40 vezes mais que os Estados Unidos.

Montaram-se 50 locais onde as pessoas puderam ser testadas sem sair do carro. O processo não dura mais de 10 minutos e os resultados ficam prontos em horas.

3) Rastrear os contatos, isolar e vigiar

Quando alguém testa positvo, as equipes médicas rastreiam seus movimentos recentes para encontrar, testar e — se necessário — isolar qualquer pessoa que teve contato com um doente. Aqueles que recusam o isolamento podem ser multados em até 2500 dólares.

4) Faça com que as pessoas se engajem

Não existem trabalhadores da saúde em número suficiente. Por isso as pessoas devem ser bem informadas e os serviços de imprensa e telefonia podem ajudar a passar informações. Essas ações, segundo pesquisas, contam com grande apoio popular.

O método da Coreia do Sul pode ser copiado?

Para o The New York Times, um dos segredos do sucesso é que nenhum dos métodos ou ferramentas é proibitivo, caro ou muito complexo. Cinco dos sete países com cenários piores que o da Coreia do Sul são mais ricos.

Um dos pontos mais elogiados, porém, é a vontade pública. As pessoas confiam e ajudam as autoridades, algo que está em falta em muitas nações, como as democracias ocidentais, onde as sociedades estão muito divididas e os governos gozam de pouco crédito.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site