Spotify se rende à censura

Pressionada por artistas da era Woodstock, serviço de streaming retira 113 episódios do podcast de Joe Rogan. Motivo: "desinformação" sobre covid
-Publicidade-
Foto: divulgação Spotify
Foto: divulgação Spotify

A empresa Spotify removeu 113 episódios do podcast The Joe Rogan Experience por “desinformação relacionada à pandemia de Covid-19”. Outra causa para a retirada doe episódios foram falas consideradas racistas, pelas quais o apresentador se declarou arrependido: “Não há nada que eu possa fazer para voltar atrás. Eu gostaria de poder. Obviamente, isso não é possível. Eu certamente não estava tentando ser racista, e eu certamente nunca iria querer ofender alguém por entretenimento com algo tão estúpido quanto racismo.”

Joe Rogan foi contratado pela Spotify por US$ 100 milhões para divulgar seu podcast com exclusividade pela empresa. O movimento de censura começou com o cantor Neil Young, que ameaçou tirar suas músicas do catálogo se o programa de Rogan não fosse cancelado. Ela foi seguida por outros músicos da era Woodstock, como Joni Mitchell, David Crosby, Stephen Stills e Graham Nash.

Com o movimento iniciado por Neil Young, a Spotify perdeu US$ 4 bilhões em valor de mercado. Ela já havia retirado 20.000 episódios de vários podcasts por “desinformação” sobre a covid e suas vacinas. Rogan atrai 11 milhões de usuários por episódio.

-Publicidade-

Neil Young se justificou em seu site: “Eu apoio a liberdade de expressão. Nunca fui a favor da censura. As empresas privadas têm o direito de escolher com o que lucrar, assim como posso optar por não ter minha música apoiando uma plataforma que dissemina informações nocivas. Estou feliz e orgulhoso de ser solidário com os profissionais de saúde da linha de frente que arriscam suas vidas todos os dias para ajudar os outros.”

Neste episódio, Joe Rogan entrevista o médico Sanjay Gupta, da CNN sobre covid e boatos sobre ele:

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

27 comentários Ver comentários

  1. Com certeza vou cancelar o Spotify.
    A CNN é emissora decadente nos EUA, já não assisto desde o episódio do Alexandre Garcia. Aqui no Brasil ela não decolou, vai seguir apanhando da Jovem Pan.

  2. Verdade que esse NY tem parceria com farmacêuticas? Já vi a notícia em vários lugares, o melhor e mais verdadeiro seria dizer que não quer perder dinheiro e não ficar se fingindo que é contra a censura e a favor da liberdade de expressão, isso é pura mentira, como todo esquerdista! Spotify nunca mais, já evitava bastante pelo excesso de publicidade e comerciais, agora mesmo que quero distância!

  3. Esse mundo está louco!!! A empresa retirou porque perdeu valor de mercado. Deve ter tido as ações derrubadas na bolsa… O mundo está hipócrita!

  4. A força de esquerda e da tal falsa liberdade de expressão. Pelo jeito Spotify desceu as calças e eu não esperava por isso. Para qual plataforma ir agora.

  5. Depois dessa também estou cancelando minha assinatura do Spotify eles que fiquem com os canceladores.
    É hora de nós os conservadores nos posicionarmos.

  6. O entrevistador é bastante “aborrecente”; mais ainda com sua aparente inocência que nada tem de adolescente. É mesmo chato. Se você tem seguidores por afirmar que toma remédio veterinário constantemente, não significa que esteja certo. Não sei sobre os seguidores dele, provavelmente adolescentes, mas a informação veiculada por ele é bastante polêmica e o faz parecer-se a um charlatão que se acha importante. Tipo um certo 9-fingers bem conhecido por aqui…
    Ao contrário desse pretendente a adolescente, Neil Young, um tremendo cantor e compositor, se mostra como um defensor de uma época quando, certamente, agia como adolescente em alguns felizes momentos de seus shows, mas nunca pareceu a um charlatão.

  7. Woodstock foi um encontro de quase meio milhão de jovens que aconteceu entre os dias 15 e 18 de agosto de 1969 na fazenda de gado leiteiro de 600 acres de Max Yasgur, próximo à região de White Lake, na cidade de Bethel, no estado de Nova York, nos Estados Unidos num clima de EXALTAÇÃO DAS LIBERDADES, recusa da guerra, uso de drogas psicodélicas, nudez e sexualidade desafiadoras foi um evento artístico, político e existencial marcante.
    OS JOVENS DA ÉPOCA ERAM CORAJOSOS PARA ENFRENTAR O “SISTEMA” HOJE VIRARAM UM BANDO DE BABACAS MEDROSOS E SUBSERVIENTES, PARECE QUE AS DROGAS QUEIMARAM TODOS OS SEUS NEURÔNIOS E JOGARAM NO LIXO SEU LEGADO, A COMEÇAR DESTES MÚSICOS LACRADORES, É UMA PENA.

  8. Quem diria heim!!! Os “libertários” da geração Woodstock, todos a favor da censura!!
    O próprio Joe Rogan também , na sua fala, cedendo, tentando se justificar.
    BANDO DE FROUXOS !!!!
    O DINHEIRO , COMO SEMPRE, FALOU MAIS ALTO. BOTOU TODOS “NO BOLSO”!!!
    SPOTIFY E JOE ROGAN, DECEPÇÃO!! FROUXOS!!!!

  9. É impressionante como essas plataformas se rendem facilmente às pressões desses aloprados reacionários.E é impressionante também como os artistas alvos desses ataques não reagem à altura.Joe Rogam,por exemplo,já ganhou muito dinheiro.Poderia muito bem dar uma banana a essa cambada e cair fora.Quem perderia mais?

  10. Lamentável a atitude do SPOTIFY censurando JOE ROGAN. A liberdade de expressão não pode ser suprimida dessa maneira. Vou estudar se cancelo a minha assinatura.

  11. Quem cancela tem que ser cancelado.
    Spotify nunca mais.
    Eu vivi pra ver os velhos decadentes que lutaram por liberdade, sexo, paz e drogas, hoje lutarem por cancelamentos, restrições, doutrinas e prisão de pessoas por darem suas opiniões. Quanto quer pagar pra eu virar um comunista.
    Spotify, quem lacra não lucra.
    Neil descanse em Paz.

  12. A cada dia que passa a patrulha de idéias é mais ativa e mais aceita como normal. Vivemos num mundo dividido, onde pequenos grupos dominam a maioria sonolenta…. Quando acordarem, o inimigo estará de cueca na sua sala!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.