Covid-19: Reino Unido anuncia ‘lockdown’ parcial até dezembro

Pelas novas regras, britânicos poderão continuar a se locomover até o trabalho e a escola e a fazer exercícios ao ar livre
-Publicidade-
Brois Johnson é o primeiro-ministro do Reino Unido | Foto: Reprodução/Instagram
Brois Johnson é o primeiro-ministro do Reino Unido | Foto: Reprodução/Instagram | boris johnson - reino unido - lockdown

As novas regras permitem que os britânicos continuem a se locomover até o trabalho e a escola e a fazer exercícios ao ar livre

-Publicidade-
boris johnson - reino unido - lockdown
Brois Johnson é o primeiro-ministro do Reino Unido | Foto? Reprodução/Instagram

É para o povo britânico “ficar em casa” a partir da próxima quinta-feira, 5. Ao menos esse foi o pedido feito pelo primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, na tarde deste sábado, 31. O premier anunciou um novo lockdown como estratégia para combater a disseminação de covid-19.

Leia mais: “Polícia prende mais um suspeito pelo ataque terrorista na França”

As novas medidas de restrição impõem que os britânicos só saiam de casa para “comprar comida e demais itens essenciais”. Apesar dessa afirmação por parte do primeiro-ministro, o lockdown da vez abre a possibilidade para as pessoas se locomoverem até o trabalho, escola/faculdade, hospital ou mesmo fazerem exercícios ao ar livre.

Anunciado para vigorar no Reino Unido até 2 de dezembro, as regras impostas agora proíbem a abertura de bares, restaurantes, clubes e academias. Na lista de “comércio essencial”, supermercados e farmácias seguirão abertos.

O premier indicou que as restrições poderão ser suspensas aos poucos. “Procuraremos amenizar as restrições, voltando ao sistema em camadas em uma base local e regional de acordo com os dados e tendências mais recentes”, declarou Johnson, conforme divulga o site da BBC.

Futebol

Diferentemente do primeiro lockdown, imposto em março, o futebol profissional não será interrompido no Reino Unido. A Premier League, como é chamado o campeonato inglês, seguirá com os confrontos da mesma forma que vêm ocorrendo desde o início da temporada: sem a presença de torcedores nos estádios.

 

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comment

  1. É a vez do Reino Unido. Farão a experiência social para medir até q ponto os britânicos aceitam ser subjugados como ovelhas. A França vai muito bem, obrigado, usando a fraudemia e a perseguição aos cristãos com aquela ajudinha islâmica, a mais sectária religião do mundo. Na América do Sul, o Brasil resiste com Bolsonaro, única barreira que impede a horda comunista sobre o país (Deus esteja com ele), num continente cercado, pois Argentina, Chile, Equador, Bolívia e Venezuela já capitularam. Na Europa, anotem, o próximo será a Alemanha. Seguindo o histórico empirismo alemão, Merkel aguarda os resultados das experiências britânica e francesa para os ajustes contra seu próprio país.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site