-Publicidade-

Dia caótico nos EUA: invasão histórica do Congresso eleva tensão política

Protesto contra eleição de Joe Biden degenera em tumulto; fervura entre democratas e republicanos chega ao ápice após eleição turbulenta
"Protestos no Capitólio em 6 de janeiro | Foto: Redes Sociais"
"Protestos no Capitólio em 6 de janeiro | Foto: Redes Sociais"

Protesto contra eleição de Joe Biden degenera em tumulto; fervura entre democratas e republicanos chega ao ápice após eleição turbulenta

ana paula henkel - antifa - estados unidos - invasão - dia histórico
Manifestantes em frente ao Capitólio dos Estados Unidos, em Washington | Foto: Reprodução/Instagram

Os Estados Unidos da América viveram um dia caótico nesta quarta-feira, 6. Um grupo de manifestantes invadiu o Capitólio (prédio do Congresso) em protesto contra a confirmação do resultado das eleições presidenciais deste ano, possivelmente as mais conturbadas da história do país. A sessão foi suspensa e a segurança teve de ser acionada. No tumulto, uma mulher morreu baleada. O vice-presidente Mike Pence teve de ser retirado às pressas do local.

As cenas que correram o mundo e incendiaram as redes sociais têm como pano de fundo a contestação da vitória do democrata Joe Biden contra o republicano Donald Trump numa eleição pontuada por suspeitas de fraudes. Acusado pela imprensa opositora de insuflar o ato, Trump usou sua conta no Twitter para pedir paz. Em seguida, o presidente gravou um vídeo pedindo que as pessoas regressassem para casa; o Twitter, contudo, barrou a publicação.

https://twitter.com/realDonaldTrump/status/1346912780700577792

A Casa Branca convocou a Guarda Nacional para debelar a confusão — 1.100 homens foram enviados, segundo o Pentágono. Ao menos 13 pessoas foram presas. A prefeita de Washington, Muriel Bowser, decretou toque de recolher nas ruas a partir das 18 horas (horário local).

No início da noite, a imprensa norte-americana noticiou a informação — ainda não oficializada pelas autoridades — de que bombas foram encontradas no comitê do Partido Republicano, localizado nos arredores do Capitólio. Também circulam suspeitas nas redes sociais de que entre os invasores do prédio foram identificados integrantes do Antifa — grupo de extrema esquerda que promove atos terroristas em manifestações supostamente antirracistas.

Análise

“Dia muito agitado por aqui. É um dia no qual a Constituição determina a abertura dos votos do Colégio Eleitoral pelo Congresso e o Capitólio foi tomado. […] Com certeza, estamos testemunhando um dia histórico. […] Ainda estão investigando se são apoiadores de Trump ou se são infiltrados da Antifa”, afirmou a colunista de Oeste Ana Paula Henkel, que vive na Califórnia, no programa Os Pingos nos Is, da rádio Jovem Pan.

“A democracia norte-americana foi bagunçada. Essa é a única triste certeza que a gente tem neste momento. E é uma certeza flagrante, que está diante dos nossos olhos”, avaliou Guilherme Fiuza, também colunista de Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comentários

  1. É isto aí. Aconteceu o que tinha que acontecer. A liberdade não pode ser ameaçada, com inúmeros questionamentos a respeito da eleição americana. Liberdades não podem correr riscos.

    1. O site Crítica Nacional publicou : “No canal da Shock Wave News no aplicativo Telegram, há uma série de imagens, vídeos, prints de de mensagens e outros materiais mostrando pessoas ligadas ao Antifas e que estavam entre os invasores do Capitólio.”

    2. Por que você não vai dar pra quem tem tempo….?
      Aqui somos uma revista de Direita…vai vomitar as mxrdas que habitam o seu cérebro nos pasquins da tua laia!
      Outra coisa FDP: lave a boca antes de criticar a Ana Paula Henkel….essa menina é a articulista mais espetacular que já apareceu por aqui… não vai ser um bxsta do seu calibre que vem aqui ofende-la…outra coisa: passadora de pano deve ser a sua genitora!
      Tá falado!

  2. Outra coisa: “imprensa opositora” é toda a imprensa americana e mundial, com as exceções de extrema direita conhecida. Aliás, a imprensa bolsonarista brasileira está mais próxima de Trump que a imprensa trumpista americana. Sinal que sobrará alguém ao lado de Trump no dia 20/01.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês