Diplomatas dos EUA podem ter sofrido ataque com novo tipo de arma em Cuba e na China

Relatório aponta que russos investiram em pesquisa sobre tecnologia de pulsão de rádiofrequência
-Publicidade-
O presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: DIVULGAÇÃO/KREMLIN/FLICKR
O presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: DIVULGAÇÃO/KREMLIN/FLICKR | O presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: DIVULGAÇÃO/KREMLIN/FLICKR

Segundo relatório, russos investiram em pesquisa sobre tecnologia de pulsão de radiofrequência

rússia
O presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: Divulgação/Kremlin/Flickr
-Publicidade-

Um relatório médico divulgado no último sábado, 5, pela Academia Nacional de Ciências, Engenharia e Medicina (Nasem, na sigla em inglês), instituição dos Estados Unidos, revela que funcionários do governo norte-americano a serviço nas embaixadas em Cuba e na China podem ter sido atingidos por energia de radiofrequência pulsada, tipo de radiação que inclui micro-ondas.

A doença misteriosa, chamada de “síndrome de Havana”, foi identificada pela primeira vez na capital cubana em 2016, acometeu diplomatas e espiões norte-americanos, além de funcionários de embaixadas nos últimos anos.

Agentes diplomáticos lotados em Havana, Cuba, e em Guangzhou, China, queixaram-se de náusea, tontura, pressão nos ouvidos, ruídos altos, dificuldades cognitivas e dor de cabeça. Alguns deles ainda sofrem esses sintomas em 2020. Por esse motivo, o governo dos Estados Unidos encomendou um estudo para investigar o caso e fazer recomendações de saúde a seus servidores.

O relatório final da pesquisa recebeu o título de “An Assessment of Illness in U.S. Government Employees and Their Families at Overseas Embassies” (em tradução livre, “Uma avaliação de doenças em funcionários do governo dos EUA e suas famílias em embaixadas no exterior”) e está disponível para download no site do instituto.

O relatório não aponta responsáveis pelo ataque, mas faz menção ao número significativo de pesquisas envolvendo tecnologias de pulsão de radiofrequência na Rússia e na antiga União Soviética. Apesar de constatar a causa provável, o documento não informa se as lesões foram causadas de forma proposital, por meio de uma arma. Segundo a NBC, em 2018, oficiais da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos indicaram os russos como autores mais prováveis de uma ação com esse tipo de armamento.

Leia também: “Sementes vindas da China são pragas inexistentes no Brasil”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site