Economia da Rússia está em choque, admite porta-voz do Kremlin

Segundo Dmitry Peskov, as sanções contra Moscou são sem precedentes
-Publicidade-
Dmitry Peskov é porta-voz do Kremlin
Dmitry Peskov é porta-voz do Kremlin | Foto: Reprodução/Flickr

O Kremlin informou nesta quinta-feira, 10, que a economia da Rússia está passando por um estado de choque. A dificuldade ocorre em virtude das sanções econômicas impostas pelos países ocidentais, que repudiam a invasão da Ucrânia pelo Exército de Vladimir Putin.

Nossa economia está sofrendo um impacto de choque”, admitiu o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, em coletiva de imprensa. “Isso é absolutamente sem precedentes. A guerra econômica que começou contra nosso país nunca aconteceu antes. Portanto, é difícil prever qualquer coisa.”

Ainda nesta quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, disse que o país não quer mais depender de insumos de países e empresas ocidentais. As declarações foram feitas depois de um encontro com o chanceler da Ucrânia, Dmytro Kuleba.

-Publicidade-

Resposta

Na esteira das sanções ocidentais, o Kremlin anunciou que pretende tomar o controle e nacionalizar as multinacionais que estão deixando o país. Trata-se da primeira resposta do governo russo à fuga de empresas como Starbucks, McDonald’s e Coca-Cola.

Segundo o Ministério da Economia da Rússia, o plano é assumir temporariamente o controle das companhias que tenham mais de 25% de participação estrangeira. Os proprietários teriam cinco dias para retomar a atividade ou recorrer a outras opções, como vender sua participação.

A pasta informou ainda que as medidas se aplicariam a empresas cuja administração, incluindo os acionistas, encerrou o controle da atividade no país. As companhias cuja administração deixou a Rússia ou transferiu seus ativos a partir de 24 de fevereiro também podem estar sujeitas às novas regras.

Leia também: “Putin, a Mãe Rússia e o Ocidente”, artigo de Rodrigo Constantino publicado na Edição 102 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Nessa confusão toda, acho que ficamos com o olhar restrito a ideologias políticas. Isso também existe. Mas eu vejo como as corporações são “dominadas”. Interessante como as coisas são orquestradas… as saídas das empresas de uma maneira uníssona. Fico pensando … se sou o dono do “Bobs”…. tipo.. agora seria um bom momento de absorver o mercado interno Russo… pois o concorrente saiu. Então.. o que quero dizer é que esse movimento não me parece nada racional com o capitalismo, livre mercado que essas empresas defendem e atuam.. mas uma ação coordenada por quem manda nelas, tipo uma Black Rock da vida.. um “Jorge” Soros….

  2. A Rússia fazendo o que faz de melhor, encontrar argumentos irracionais para justificar seus atos espoliatórios. Vai pra Rússia Fachin e leve seu protegido.

  3. Como vão nacionalizar a Coca-Cola? E o segredo do Xarope, já descobriram? É só uma curiosidade em meio a essa bagunça toda aí.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.