Fantasia: música clássica para crianças – e para o resto de nós

Com Fantasia, Walt Disney ensinou multidões a curtir concertos e sinfonias. Fantasia 2000 segue o mesmo caminho
-Publicidade-
Imagem: divulgação Disney
Imagem: divulgação Disney

Filmes
Fantasia e Fantasia 2000 (Disney Plus)

Em 1940, Walt Disney lançou um longa duplamente revolucionário. Fantasia juntou a arte da animação (da qual ele era rei na época) com música clássica. Foi também o primeiro filme a ser exibido com som estéreo. A trilha sonora misturava obras de Bach, Tchaikovsky, Dukas, Stravinsky e Beethoven. As animações variavam entre personagens infantis como Mickey e cenas de puro terror, como o demônio que surge no alto do Monte Calvo, na peça de Modest Mussorgsky. A partir dos anos 1960, assistir Fantasia se tornou um dos programas favoritos dos consumidores de LSD e outras substâncias lisérgicas.

-Publicidade-

Seis décadas depois, a Disney lançou uma nova versão, com todas as conquistas técnicas do cinema, como filmagem IMAX e som DTS. A trilha sonora dessa vez incluiu outros compositores (como George Gershwin, Dmitri Shostakovich, Camille Saint-Saëns, Paul Dukas) e a técnica de animação obviamente evoluiu muito. O lançamento da versão 2000 não teve tanto impacto quanto a original, mas merece uma revisão. As duas versões foram apresentadas juntas numa versão em blu-ray.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.