Livro homenageia mulheres que atuaram como correspondentes na Segunda Guerra

Hoje, a presença de mulheres jornalistas em regiões de conflito é normal, mas na década de 1940 elas precisavam trabalhar quase clandestinamente
-Publicidade-
Foto: divulgação
Foto: divulgação

A autora Judith Mackrell lançou nesta semana o livro Six Women Writers on the Front Lines of World War II (Seis Escritoras Mulheres na Linha de Frente da Segunda  Guerra Mundial, ainda sem lançamento no Brasil). O livro conta não só as aventuras que passaram durante o conflito como a dificuldade em serem aceitas como correspondentes de guerra, uma tarefa masculina até então.

Entre as retratadas está Martha Gellhorn, esposa do jornalista e escritor Ernest Hemingway. Ele fingiu que estava entrevistando enfermeiras, trancou-se num banheiro e na hora certa saiu para cobrir a chegada dos barcos aliados na Normandia, durante o chamado Dia D. A jornalista e modelo da revista Vogue Lee Miller supostamente trabalhava com moda. Quando faleceu, seu filho achou 60 mil fotos retratando a dramática libertação de Paris das tropas nazistas.

Lee Miller (Foto: divulgação Lee Miller Archives)
-Publicidade-
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.