Macron autoriza que médicos com covid-19 atendam pacientes

Governo justificou a medida em razão da Ômicron
-Publicidade-
Determinação do Ministério da Saúde é temporária
Determinação do Ministério da Saúde é temporária | Foto: Divulgação/Flickr

O presidente da França, Emmanuel Macron, permitiu que médicos com covid-19 atendam pacientes em vez de se isolarem. Conforme o governo, trata-se de uma medida paliativa extraordinária, cuja finalidade é diminuir a falta de pessoal em hospitais e outras instalações devido aos casos de coronavírus.

Segundo noticiou a agência de notícias Associated Press, na quarta-feira 5, a isenção especial às regras de quarentena da França, que está sendo implementada em hospitais, lares de idosos, consultórios médicos e outros serviços essenciais de saúde, atesta a crescente pressão sobre o sistema médico.

-Publicidade-

Em algumas regiões francesas, as quarentenas foram reduzidas por Macron, para fazer os trabalhadores voltarem a seus postos. Isso porque a iniciativa privada e setores do funcionalismo se queixaram da falta de mão de obra em razão do isolamento. A ordem do Ministério da Saúde já está sendo aplicada.

O alerta da pasta justifica que a alta nas infecções na França representa “um grande risco de interrupção da oferta de atendimento”. Além disso, descreve a medida como “excepcional e temporária”, além de garantir que ela será suspensa quando o sistema não estiver tão saturado com casos de vírus.

Leia também: “O culto bizarro à covid-19”, artigo de Ana Paula Henkel publicado na Edição 56 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.