Marca Cacau Sustentável da Amazônia pode ser apresentada na COP26

A iniciativa pretende criar demanda e valor agregado para a produção da fruta na região amazônica com desmatamento zero
-Publicidade-
A fruta é nativa da Amazônia, bioma com sua maior variabilidade genética
A fruta é nativa da Amazônia, bioma com sua maior variabilidade genética | Foto: Sidney Oliveira/Fotos Públicas

Brasil, Colômbia e Peru podem apresentar a marca Cacau Sustentável da Amazônia na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), que ocorrerá em 2021 na Escócia. A Tropical Forest Alliance (TFA), uma iniciativa do Fórum Econômico Mundial para a preservação ambiental em cadeias produtivas, está costurando um acordo com as três nações amazônicas para consolidar a iniciativa.

Leia também: “Agronegócio brasileiro alimentou 772 milhões de pessoas em 2020”

-Publicidade-

Desde o ano passado, a TFA tem promovido encontros com representantes de produtores de cada país para debater o tema. Por meio da marca, pretende-se criar demanda e valor agregado do cacau cultivado na região amazônica com desmatamento zero. A fruta é nativa da Amazônia, bioma com sua maior variabilidade genética.

“Esse projeto é inovador no sentido de que busca o desenvolvimento de um novo produto e de um novo mercado”, afirmou Fabíola Zerbini, diretora regional da TFA para a América Latina. “O objetivo não é atender a uma demanda existente e, sim, construir uma demanda.”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.