Revista Oeste - Eleições 2022

Ministro da economia da Argentina renuncia pelo Twitter

Martín Guzmán não se entendia com a vice-presidente Cristina Kirchner
-Publicidade-
Martin Guzmán (Foto: reprodução Twitter)
Martin Guzmán (Foto: reprodução Twitter)

O ministro da economia da Argentina, Martín Guzmán, anunciou sua renúncia esta tarde pelo Twitter, aumentando a crise no governo.  A renúncia foi anunciada num post do Twitter dirigido ao presidente da República: “Dr Alberto Fernández. Me dirijo ao senhor com o motivo de apresentar minha renúncia do cargo de ministro da Economia”.

O post em seguida foi apagado, mas virou o grande destaque do jornal El Clarin.  Ele não estava se entendendo com a vice-presidente Cristina Kirschner. “Não se pode fazer políticas na energia, comércio e Banco Central”, havia declarado. “O ataque já era pessoal”.

Depois de anunciar sua renúncia, o ex-ministro Guzmán declarou ainda pelo Twitter: “Com a profunda convicção e a confiança na minha visão sobre qual o caminho que deve ser seguido pela Argentina, seguirei trabalhando e atuando por uma pátria mais justa, livre e soberana”.

-Publicidade-

Assine a Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

10 comentários Ver comentários

  1. Lula tem acenado com várias propostas de cunho esquerdista radical em 2022, tais como revisão de privatizações, descontrole de gastos públicos, aumento de impostos volta da CPMF, libertação de bandidos, apoio financeiro a Cuba e Venezuela, perseguição a membros da Operação Lava Jato e partidos de oposição (direita), banimento de jornais e emissoras de oposição e maior abertura da economia brasileira ao capital chinês, inclusive à colaboração militar;

    Em termos geopolíticos, Lula presidente afasta o Brasil dos EUA e nos aproxima da China e da Rússia, que têm interesse em colocar mais bases militares na América do Sul, Atlântico Sul e Pacífico;

    Lula não pode ser eleito e, caso seja eleito, deve-se providenciar alguma maneira de impedi-lo de assumir.

  2. Graças a DEUS aqui temos PRESIDENTE! A Argentina carece de uma IMENSA REFORMA política-administrativa. Está num buraco sem fim, e ainda escolhe esses trastes esquerdista para governa-la. Triste fim, mas logo terá companhia: Chile e Colômbia.

  3. Obviamente esse pequeno trecho do twitter deve ser apenas uma pequena parte pinçada do pedido de renúncia.
    Mas mesmo aqui podemos concluir que …”a visão sobre a qual deve seguir a Argentina”… retrata que o economista responsável pela recuperação do país, estava sendo posto de lado nas suas ideias. Então só restou mesmo que coloque o cargo à disposição. Agora, mandar isso pelo twitter?… Bastava então colocar as palavras “de caráter irrevogável” no comunicado oficial que teria o mesmo efeito.

  4. Por aqui, graças a Deus, temos um ministro casca dura igual o presidente, não se vende e nem se atemoriza com os ataques.
    Quem sabe os hermanos terão uma chance de mudar na próxima eleição

    1. Infelizmente,o Macre não pode implementar as políticas públicos necessários e seu governo não teve grande sucesso. Os argentinos caíram no canto da seria comunista.Na próxima eleição,se não fraudarem, poderão reverter essa desgraça.Capitalismo não se faz com demagogia, clientelismo barato e corrupção.
      Há quase oitenta anos e o ESQUERDISMO teima permanecer no erro.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.