Por margem apertada, presidente conservador é reeleito na Polônia

Com 99,7% das urnas apuradas, o presidente da Polônia, Andrzej Duda, assegurou mais um mandato na presidência da Polônia neste domingo
-Publicidade-
Andrzej Duda comemorando a sua vitória | Foto: Divulgação/Facebook
Andrzej Duda comemorando a sua vitória | Foto: Divulgação/Facebook | Polônia

Andrzej Duda venceu o prefeito de Varsóvia, Rafal Trzaskowski; atual presidente teve 51,2% dos votos

Polônia
Andrzej Duda comemorando a sua vitória | Foto: Divulgação/Facebook

Com 99,7% das urnas apuradas, o presidente da Polônia, Andrzej Duda, assegurou mais um mandato na presidência da Polônia neste domingo.

-Publicidade-

Ele venceu por uma margem apertada o prefeito de Varsóvia, Rafal Trzaskowski, um liberal com uma visão pró-Europa. Duda teve 51,2% dos votos na eleição mais apertada da história polonesa.

A participação também foi a maior desde a primeira eleição após o regime comunista, em 1989. De acordo com a Comissão Eleitoral, 68,2% dos poloneses participaram da eleição, informa a televisão europeia Euronews.

Conforme já divulgado por Oeste, a eleição presidencial polonesa foi adiada em razão do coronavírus. A economia do país do Leste Europeu foi bastante afetada pela pandemia. A votação deveria ter acontecido no dia 10 de maio.

Por conta disso, o pleito foi cercado de cuidados, como medidas de distanciamento social e o uso de máscaras.

Andrzej Duda

Andrzej Duda é apoiado pelo direitista Partido Lei e Justiça (PiS), que por sua vez, defende valores conservadores e os gastos sociais na Polônia, país profundamente católico.

Ao declarar vitória na noite do domingo, Duda agradeceu aos seus compatriotas pelo voto. “Agradeço a todos de coração, essa alta participação representa a força da nossa democracia”, afirmou.

Ao falar para os seus simpatizantes em Varsóvia, Trzaskowski não reconheceu a derrota, visto que os números estão muito apertados, e afirmou que “amanhã nós vamos acordar em uma nova Polônia”.

PiS

O resultado é um marco na Polônia, desde que subiu ao governo em 2015, o PiS é acusado de polarizar a sociedade polonesa. O partido é particularmente forte nas regiões rurais e pobres do país, pelos programas sociais e a visão conservadora.

O PiS é acusado por críticos de tentar diminuir os direitos de minorias, como a LGBT e os judeus, além de erodir as normas democráticas da Polônia.

A União Europeia, da qual a Polônia é membro, criticou a proposta de Reforma da Justiça que o governo de Duda pretende fazer no país. Trzaskowski tinha como principal bandeira melhorar a relação entre Varsóvia e Bruxelas.

 

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.