Presidente da Argentina suspende negociações do Mercosul

Em meio à crise financeira, Alberto Fernández trava acordos do bloco e sinaliza "brexit" versão América do Sul
-Publicidade-
A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e o presidente da Argentina, Alberto Fernández | Foto: AMILCAR ORFALI/ GETTY IMAGES
A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e o presidente da Argentina, Alberto Fernández | Foto: AMILCAR ORFALI/ GETTY IMAGES

Em meio à crise financeira, Alberto Fernández trava acordos do bloco e sinaliza “brexit” versão América do Sul

Cristina Kirchner e Alberto Fernández, vice-presidente e presidente da Argentina | Foto: AMILCAR ORFALI/ GETTY IMAGES
-Publicidade-

Ao anunciar na sexta-feira 24 que deixou as negociações para os novos tratados de livre comércio do Mercosul, o governo argentino paralisou o bloco econômico.  Isso porque, pelas atuais regras da união aduaneira, todos os países precisam aprovar juntos determinada decisão sem que um possa avançar sozinho.

Portanto, a decisão do presidente Alberto Fernández afeta diretamente a tramitação do Acordo de Livre Comércio com a União Europeia, firmado em 2019 depois de muita dificuldade. No entanto, o governo argentino garante que vai colaborar apenas para concretizar essa negociação.

Para priorizar a economia interna do país, os peronistas justificaram que a suspensão dos tratados “se faz necessária para a proteção das empresas locais da Argentina e dos mais pobres”.

A partir de agora, uma solução para os ministérios das relações exteriores dos países liberais e comprometidos com o progresso econômico é acelerar outras questões pendentes do Mercosul, como o relaxamento das regras que proíbem os membros do bloco de assinar acordos bilaterais sem a aprovação dos demais, facilitando, assim, a vida de todos.

“O governo brasileiro continuará, junto com Paraguai e Uruguai, a perseguir o objetivo de comércio aberto e livre com outros países”, escreveu o chanceler brasileiro Ernesto Araújo em nota publicada no jornal Folha de S.Paulo. 

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site