Relatório garante que a China omitiu informações sobre o coronavírus por seis dias

Por causa da demora, o patógeno ganhou força e impediu que o Ocidente reagisse rapidamente para evitar a covid-19
-Publicidade-
O presidente da China, Xi Jinping | Foto: PETER KLAUNZER/AFP/Getty Images)
O presidente da China, Xi Jinping | Foto: PETER KLAUNZER/AFP/Getty Images)

Por causa da demora, o patógeno ganhou força e impediu que o Ocidente reagisse rapidamente para evitar a covid-19

O presidente da China, Xi Jinping | Foto: PETER KLAUNZER/AFP/Getty Images

Em 18 de janeiro deste ano, aproximadamente 3.000 pessoas se reuniram para comemorar o Ano Novo Lunar, em Wuhan, na China. Quatro dias antes, o Partido Comunista já sabia do potencial do coronavírus, mas optou pelo silêncio e permitiu que a festa ocorresse, informa um documento obtido pela agência Associated Press (AP).

-Publicidade-

Só em 20 de janeiro, portanto seis dias depois de as autoridades chinesas tomaram conhecimento do surto, é que a população foi informada. Em razão do atraso no enfrentamento ao patógeno, o sistema de saúde local entrou em colapso. Com infectados viajando para outros países, o vírus contaminou 2 milhões de pessoas e tirou mais de 133.000 vidas.

Especialistas ouvidos pela AP garantem que os rígidos controles da China sobre o fluxo de informações, incontáveis obstáculos burocráticos e a relutância em enviar as más notícias para a cadeia de comando mundial abafaram os alertas precoces. Ademais, a punição de oito médicos por “boatos”, transmitida pela imprensa nacional em 2 de janeiro, dificultou ainda mais a reação do Ocidente.

Informa o documento obtido pela agência que o chefe da Comissão Nacional de Saúde da China, Ma Xiaowei, apresentou uma “avaliação sombria” da situação em 14 de janeiro numa teleconferência sigliosa com autoridades provinciais de saúde. Um memorando afirma que o encontro foi realizada para transmitir instruções sobre status do coronavírus ao presidente Xi Jinping.

“A situação epidêmica ainda é grave e complexa, o desafio mais grave desde a SARS em 2003 e provavelmente se transformará em um grande evento de saúde pública”, diz o memorando de Xiaowei. Contudo, como descrito anteriormente nesta reportagem, os membros do Partido Comunista da China optaram pelo silêncio sepulcral.

Reação tardia do Ocidente

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump | Foto: SHEALAH CRAIGHEAD/CASA BRANCA

A denúncia pode favorecer o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na comprovação de que o governo chinês sabia de tudo. Trump sustenta que o sigilo do governo chinês impediu que o resto do mundo se preparasse para tomar as medidas necessárias contra o vírus.

Assim como Trump, outros líderes mundiais subestimaram a doença, a exemplo do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e o presidente da República, Jair Bolsonaro (em várias entrevistas concedidas à imprensa, ele classificou a covid-19 como uma “gripezinha”).

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Não acredito em acaso ou acidente. Esse regime opressor não hesita em alterar a verdade. Espero que a ciência esclareça a origem e a constituição do vírus.

  2. O vírus muito provavelmente foi manipulado. Cientistas franceses e americanos alertam que nesse vírus há genomas do HIV. Restaria saber se ele se espalhou por acidente ou propositalmente.

  3. A China fez isso propositalmente! Levaram imensas vantagens comprando tudo que podiam com as bolsas quebradas, tendo uma maior controle na economia mundial. Isso é fato! O que ninguem indaga é como eles se livraram do problema, ja que pelos dados da OMS quase nao morre ninguem nos últimos 15 dias na China. Eles imunizaram a população? Eles criaram o virus e possuem a vacina? Porque se isso for real, é muito grave!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.