Trump volta a responsabilizar a China pela pandemia

Ele também falou sobre a situação do Brasil e informou que o governo norte-americano passará a conceder coletivas sobre o desenvolvimento de vacinas
-Publicidade-
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump | Foto: Delano Scott/Casa Branca
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump | Foto: Delano Scott/Casa Branca

Ele também falou sobre a situação do Brasil e informou que o governo norte-americano passará a conceder coletivas sobre o desenvolvimento de vacinas

Donald Trump
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump | Foto: Delano Scott/Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira, 20, que o coronavírus é um problema global, ainda que “causado pela China”.

-Publicidade-

Além de reforçar críticas à China, em meio à escalada de tensões entre os dois países, Trump afirmou que Estados governados pelo Partido Democrata lidaram pior com a pandemia. “Olhe Nova York”, disparou.

O Estado, governado por Andrew Cuomo, registra o maior número de mortes e casos pela doença.

Economia

O presidente dos Estados Unidos também voltou a defender cortes de impostos em folhas de pagamento como forma de estimular a atividade no país, golpeada pela crise.

No Congresso, parlamentares começaram nesta segunda-feira a discutir um quinto pacote fiscal.

Brasil

Em entrevista coletiva no Salão Oval da Casa Branca, Donald Trump disse que o Brasil vive uma “situação terrível” pela covid-19.

A menção ao Brasil veio durante críticas de Trump à cobertura da imprensa americana sobre a pandemia.

“No fim de semana, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o mundo atingiu recorde de casos de coronavírus. E só se fala dos EUA, como se o problema não fosse mundial. Veja o Brasil, que situação terrível. Veja o México”, argumentou o republicano.

Vacinas

Donald Trump ainda ressaltou que os avanços recentes em estudos de vacinas e tratamentos contra o novo coronavírus, comentando especificamente sobre a utilização de remdesivir em pacientes já infectados.

Dessa vez, ele não mencionou hidroxicloroquina.

O líder da Casa Branca ainda informou que seu governo passará a conceder coletivas sobre o desenvolvimento de vacinas contra a covid-19. Nesta segunda-feira, AstraZeneca e Pfizer relataram avanços importantes em seus estudos de uma profilaxia à doença.

Com informações do Estadão Conteúdo.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.