-Publicidade-

#VacinaGate: Senado bancará exames de coronavírus e vacinas

Decisão é retroativa ao dia 1º de março. Ressarcimento com exames pode chegara a R$ 1,2 mil por pessoa; vacinas para gripe também serão custeadas pela Casa
Foto: Marcos Oliveira/Divulgação
Foto: Marcos Oliveira/Divulgação | Senado bancará exames de coronavírus

Decisão é retroativa a 1º de março. Ressarcimento com testes pode chegar a R$ 1,2 mil por pessoa; vacinas para gripe também serão custeadas pela Casa

Senadores terão direito a exames custeados com recursos públicos | Foto: Marcos Oliveira/Divulgação

O Sistema Integrado de Saúde (SIS), que é o plano de saúde do Senado, passou a admitir desde 1º de março o ressarcimento com despesas em vacinas para a gripe e também com testes para coronavírus tanto para senadores (cujo salário é de R$ 33,7 mil), quanto para seus dependentes e ex-senadores. Na prática, o contribuinte brasileiro é quem paga mais essa regalia.

A decisão foi tomada em reunião do Conselho de Supervisão do SIS, realizada 11 de março. Segundo deliberação do Conselho Superior do SIS, os valores de reembolso para exames contra o coronavírus serão de até R$ 219,60 no caso do teste RT-PCR (utilizado para detectar casos da covid-19) e de até R$ 1.285,92 para o chamado “exame Painel Respiratório”, um teste mais completo que ajuda a detectar bactérias e vírus causadores de infecções respiratórias. Qualquer valor que ultrapasse isso, será custeado pelo próprio beneficiado.

Vacinas

Além disso, o SIS também autorizou o custeio com vacinas para gripe. O valor máximo do reembolso pelo plano de saúde do Senado será de R$ 120. Esta última medida, tem como objetivo “proteger principalmente os grupos mais vulneráveis, como idosos, crianças, doentes crônicos e imunossuprimidos”, de acordo com o próprio Senado. Desde a semana passada, Oeste vem mostrando que órgãos como o Supremo Tribunal Federal (STF) e Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aproveitaram a crise da covid-19 para imunizar seus integrantes.

Somente nos últimos 30 dias, essa é a segunda alteração de grande porte no plano de saúde dos senadores. Em fevereiro, um ato da Comissão Diretora da Casa ampliou para até 33 anos a idade máxima dos beneficiários do plano de saúde.

Confira a ata da reunião que autorizou mais essa regalia aos senadores e dependentes

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês